A Norma Regulamentadora 5, criada no ano de 1978 pelo Ministério do Trabalho, oficializa a criação de uma CIPA - Comissão Interna de Pr...

Atividades da CIPA e o Fisioterapeuta do Trabalho






A Norma Regulamentadora 5, criada no ano de 1978 pelo Ministério do Trabalho, oficializa a criação de uma CIPA - Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (apesar dela já existir anteriormente no País, com a chegada de indústrias e empresas de fora) para empresas de praticamente todos os portes, com determinações específicas de acordo com as áreas de atuação e quantidade de funcionários.

Na própria Norma Regulamentadora, encontramos atribuições como essas que serão listadas aqui:

  • Identificar os riscos do processo de trabalho, e elaborar o mapa de riscos, com a participação do maior número de trabalhadores, com assessoria do SESMT, onde houver;
  • Elaborar plano de trabalho que possibilite a ação preventiva na solução de problemas de segurança e saúde no trabalho;
  • Participar da implementação e do controle da qualidade das medidas de prevenção necessárias, bem como da avaliação das prioridades de ação nos locais de trabalho;
  • Realizar, periodicamente, verificações nos ambientes e condições de trabalho visando a identificação de situações que venham a trazer riscos para a segurança e saúde dos trabalhadores;
  • Realizar, a cada reunião, avaliação do cumprimento das metas fixadas em seu plano de trabalho e discutir as situações de risco que foram identificadas;
  • Divulgar aos trabalhadores informações relativas à segurança e saúde no trabalho;
  • Participar, anualmente, em conjunto com a empresa, de Campanhas de Prevenção da AIDS.
  • Promover, anualmente, em conjunto com o SESMT, onde houver, a Semana Interna de Prevenção de Acidentes do Trabalho – SIPAT.

Essas são apenas algumas delas e, como podemos ver, o trabalho é de grande responsabilidade, já que a renovação dos planos e controles de riscos deve ser constante, além da promoção de campanhas que auxiliem os trabalhadores a manter a conscientização sobre questões que podem ser consideradas externas, como a prevenção de AIDS.

O Fisioterapeuta é o profissional que estuda, diagnostica, previne e recupera pacientes que possuam distúrbios motores, com o objetivo de cuidar da integridade dos sistemas corporais. Com a crescente preocupação das empresas com a saúde do trabalhador, foi criada uma especialidade chamada fisioterapia do trabalho, que tem como missão melhorar a qualidade de vida dos empregados, prevenindo o surgimento de doenças crônicas degenerativas, como a DORT.

A presença de um fisioterapeuta pode contribuir com a saúde física e funcional dos trabalhadores, identificando quais são os problemas relacionados à ergonomia através de uma avaliação detalhada do ambiente de trabalho. Se, por exemplo, o computador estiver em uma posição inadequada, pode ocasionar lesões na coluna, punhos e braços. A maneira como uma carga é alçada pode causar danos na coluna. A forma de sentar na cadeira também. Tudo isso é detectado por um bom fisioterapeuta do trabalho.

Além disso, esse profissional também pode realizar uma série de pequenos exercícios diários com os funcionários da empresa, com curta duração (de 5 a 15 minutos) e de fácil execução. A ideia é promover melhorias funcionais nos principais sistemas afetados pelo trabalho e, claro, criar momentos de descontração em meio à rotina.

Mas apesar dessa importância, não há uma legislação específica que obrigue as empresas a manter um fisioterapeuta em seu quadro de funcionários.

0 comentários:

A dor de coluna é o sintoma mais comum que limita o trabalho, sendo uma das causas mais frequentes de consultas e hospitalização, além d...

Fisioterapia no Trabalho e as Dores na Coluna





A dor de coluna é o sintoma mais comum que limita o trabalho, sendo uma das causas mais frequentes de consultas e hospitalização, além do afastamento da atividade laboral. Ela está associada a fatores individuais, como ganho de peso, má postura, fraqueza muscular, falta de condicionamento físico e ocupacional, como sobrecarga excessiva gerada por levantamento de peso e pela permanência prolongada na posição sentada. Geralmente o quadro sintomatológico pode ter origem discal, ligamentar, muscular, articular (facetária) ou neural.

O tratamento não deve ser direcionado apenas para o sintoma e sim para e estrutura que apresenta a disfunção, seja ela muscular, discal, ligamentar, etc. Vamos falar um pouco sobre de onde vem as dores na  coluna:

Dores de origem discal: A dor é aguda e se manifesta principalmente quando o corpo está submetido às posturas de sobrecarga. Piora na posição sentada, melhora ao deitar. Piora na flexão do tronco, melhora na extensão. Piora ao tossir ou espirrar;

Dores de origem ligamentar: Geralmente ocorrem com a manutenção prolongada de uma posição (sentado, em pé, deitado, etc.). Também se manifesta ao final da amplitude de movimento.

Dores de origem neural: Geralmente é uma dor do tipo projetada, irradiada. Muitas vezes vem acompanhada de formigamento, perda de força e sensibilidade. É possível descrever o trajeto da dor.

Dores de origem muscular:
A dor aparece com a contração e estiramento do músculo em disfunção. O músculo torna-se mais sensível a palpação e aparentemente mais "rígido".

Dores de origem articular (facetaria):
A dor é localizada e precisa; centrada sobre a vértebra acometida, aumentando com o movimento do corpo. Geralmente é uma dor pontual, piorando ao mobilizar (deslizar ou comprimir) a articulação em disfunção.

A dor na coluna é uma das principais preocupações do Fisioterapeuta que atua na Fisioterapia do Trabalho. O fisioterapeuta do trabalho é responsável por manter a saúde do trabalhador em dia. Ele atua na prevenção de lesões, no desenvolvimento de técnicas físicas laborais e na recuperação de problemas decorrentes da atividade profissional.

Como é um profissional valioso para empresas, especialmente as de grande porte, porque ajuda a diminuir o afastamento de trabalhadores por problemas musculares ou esqueléticos, é preciso ter muita atenção nessas causas de dores na coluna.


0 comentários:

Faça Fisioterapia