Sei bem que trabalhar com o Treinamento Funcional todo dia pode ser difícil. Para facilitar esse trabalho, uma palavra torna-se obrigatória:...

Variedade de atividades no treinamento funcional!



Sei bem que trabalhar com o Treinamento Funcional todo dia pode ser difícil. Para facilitar esse trabalho, uma palavra torna-se obrigatória: variedade.

Você acabou de achar um guia (e-book) que vai te dar variedade de atividades no treinamento funcional! 

O valor do investimento é R$ 39,90 e você pode pagar em até 4x no cartão.  IMPERDÍVEL! 

0 comentários:

A ginástica laboral, nada mais é do que a prática voluntária de fazer atividade física, realizada pelos trabalhadores coletivamente, no ...

Exemplos de Alongamento na Ginástica Laboral



A ginástica laboral, nada mais é do que a prática voluntária de fazer atividade física, realizada pelos trabalhadores coletivamente, no próprio local de trabalho, durante a sua jornada diária, visando melhorar a condição física do trabalhador, com o objetivo de promover adaptações fisiológicas, físicas e psíquicas. A ginástica laboral não sobrecarrega nem cansa os colaboradores, pois é leve, com exercícios voltados para o relaxamento do corpo, de curta duração, com certa de 10 a 20 minutos de aula por dia entre os horários de intervalo, geralmente as 10 horas da manhã e as 16 horas da tarde.

Conheça esse Guia Prático de Ginástica Laboral

Um dos exercícios que pode ser usado são os alongamentos. Veja abaixo alguns exemplos descritos:

1) Alongamento de peitoral: Em pé, um individuo fica de costas à frente do outro. O de trás irá "puxar" (me fugiu a palavra agora hehe) para trás pela região do punho, alongando assim o músculo peitoral do individuo que está na frente. A seguir troca-se as posições.

2) Alongamento de flexores de punho: Os dois individuos em pé, um do lado do outro, ombro que está do lado do companheiro em abdução de 90º, MS estendido, punho e dedos em extensão. O outro individuo tbm na mesma posição, encostando a palma da mão com a do colega. A seguir realiza-se com o MS oposto.

3) Alongamento de músculos dorsais: Em pé, um de frente pro outro, de mãos dadas (ou segurando pelos punhos) ambos irão inclinar o tronco para frente, mantendo uma distância entre eles até sentir o alongamento.

Veja mais alongamentos nos esquemas abaixo:

Conheça esse Guia Prático de Ginástica Laboral


0 comentários:

    Você sente dores nas costas ? Quando está em pé seus ombros tende...

5 exercícios para melhora da sua postura


 

Você sente dores nas costas? Quando está em pé seus ombros tendem a cair para a frente?  Geralmente, o que causa o problema é a postura errada. A falta de alinhamento pode piorar se não for tratada. A boa notícia é que, na maioria dos casos, ela pode ser corrigida.

A postura correta consiste em ambos os polegares apontando para frente e os ombros alinhados.  Ortopedistas e fisioterapeutas conseguem identificar os pacientes que não seguem esses padrões a partir testes. Assim,  é definido o melhor tratamento para cada caso.

Sabe-se que alguns exercícios podem ajudar a manter os ombros na posição correta e aliviar o stress causado pela má postura. Assim como os músculos e as articulações, a coluna também pode ser treinada para encontrar o seu alinhamento. A rotina de exercícios pode ser feita em 20 a 30 minutos por dia, ou pelo menos três vezes por semana. As informações foram dadas pelo fisioterapeuta americano Gregory Minnis, segundo o portal Medical News Today,

Passo 1: 'Aperto de mãos'

Esse exercício é simples e pode ser feito todos os dias. Em pé, você deve juntar as mãos atrás do corpo, como se estivesse fazendo um aperto de mãos em si mesmo. Então, suavemente, com as mãos ainda unidas, você deve puxar os ombros para trás sem mover o pescoço. Os ombros devem ser puxados até o peito se abrir e sentir o estiramento dos músculos. Essa posição deve ser realizada por 30 segundos.

Passo 2: 'Batente da porta'

Depois dos ombros, o peito também precisa ser alongado para manter a postura firme. Uma forma simples de fazer isso é utilizando o batente de uma porta. Em pé, de frente para a porta, você deve colocar as mãos no batente, um pouco acima da altura de sua cabeça. O pé deve ficar um pouco à frente do batente. Esse exercício permitirá alongar tanto o peito quanto os ombros. O ideal é fazê-lo por 30 segundos.

Passo 3: Escápulas

Segundo os especialistas, esse exercício ajuda o corpo a perceber como uma boa postura deveria ser. Sentado, você deve tentar unir as escápulas – os ossos das costas que ficam atrás dos ombros – como se estivesse tentando segurar uma bola de tênis entre elas. Enquanto elas flexionam, os ombros devem se mover para baixo, em relação às orelhas. Esse exercício pode ser feito por 10 segundos e repetido 10 vezes diariamente.

Passo 4: Alongamento deitado

Esse treino pode ser feito pela manhã, depois de acordar, ou à noite, antes de dormir. Você deve estar deitado, com as costas na cama e os pés no chão. Nessa posição, os joelhos devem estar flexionados e para cima. Enquanto isso, os braços devem ficar estendidos longe do corpo, com as palmas das mãos para cima. Você deverá sentir um leve alongamento nas costas e nos ombros. Para melhores resultados, esse exercício pode levar até 10 minutos.

Passo 5: Alongamento na parede

O alongamento na parede é um dos exercícios mais importantes para quem tem os ombros caídos. Ele consiste em encostar o cóccix, a cabeça e toda a extensão das costas contra a parede. Os pés devem estar posicionados um pouco longe da parede. Então, os braços devem ser pressionados contra a parede, mantendo os ombros em um ângulo de 90 graus. Essa posição pode ser mantida entre 30 segundos a um minuto para garantir o alongamento.

 

Prevenção

Pode levar algum tempo para notar o ajuste nos ombros, mas é melhor não se apressar ou forçar o corpo para uma posição que não seja confortável. Os exercícios ajudam, mas devem ser um complementar a mudança de hábito. Ou seja, é preciso treinar sempre para mantê-la correta ao longo do dia.

0 comentários:

A ginástica laboral é uma atividade auxiliadora e essencial que todas as empresas devem oferecer aos trabalhadores para prevenir doenças ...

Aspectos para um projeto de Ginástica Laboral




A ginástica laboral é uma atividade auxiliadora e essencial que todas as empresas devem oferecer aos trabalhadores para prevenir doenças ocupacionais, acidentes de trabalho, problemas relacionados ao psicológico e possíveis problemas sociais entre os trabalhadores.

Essa atividade é feita a partir de uma análise e avaliação laboral é estabelecido um programa de atividade física de grupo tendo por objetivo possibilitar o funcionário executar suas atividades laborais com mais qualidade e disposição, visando também como uma das formas de prevensão de LER/DORT, esse programa de atividade física inclui: exercícios de compensação muscular, exercícios de flexibilidade, técnicas de relaxamento, alongamento, e também periódicas atividades lúdicas que visam a integração entre funcionários.
Veja aspectos que devem ser abordados num programa de Ginástica Laboral:

Avaliação laboral I

Copilamento de dados que são indispensáveis para que se estabeleça um programa adequado:

Recursos- local onde irá ser executado, salões, auditórios, refeitórios, posto de trabalho, etc. ...
Tempo sessões de 30 min podendo ser dividida em 3ou 2/dia
Frequência semanal a partir de 3 vezes por dia.
Nº total de funcionários
Nº total de setores

Todos estes dados serão observados no ambiente de trabalho com acompanhamento de pessoas competentes e que auxiliem na informação necessária para que poça ser emitido um relatório e análise técnica com a recomendação do programa e 2 alternativas com seus benefícios e limitações. Sendo também observado fatores Ergonômicos que serão apontados somente na segunda etapa.

Uma vez que já tenha estes dados definidos requer-se uma nova etapa.

Parecer Ergonômico

O que diferencia e muito do laudo ergonômico, consta dados observados que possam ser ou não fatores de risco para a ocorrência de LER/DORT, por ser fator de análise ergonômica o profissional avaliador fica isento pela identificação e que tome providências referentes á estes, sua tarefa é apenas de apontar se há ou não o fator. Ex.: Existe fator ergonômico que deve ser reavaliado referente aos acentos e mesa do setor de digitação.

Planilha de recomendação de exercícios

Consta quais os exercícios do microciclo do mês, tendo que ser também emitidos relatórios mensalmente por parte do professor monitor ao orientador que visa o controle das atividades.

Até onde é eficiente e seguro o treinamento de compensação muscular? Para que se faça um treinamento de reforço muscular para a compensação pode-se usar de algumas técnicas específicas, exercícios com banda elástica, exercícios que utilize o peso do próprio corpo, exercícios que também visam a contração estática, etc...desde que obedeça princípios básicos de treinamento pode-se então realizar um treinamento seguro e satisfatório.

0 comentários:

Descrição do curso: O curso de Ergonomia, por meio da Educação a Distância, oferece aos profissionais de Educação Física e Fisioterapia a ...

Curso Online de Ergonomia




Descrição do curso:

O curso de Ergonomia, por meio da Educação a Distância, oferece aos profissionais de Educação Física e Fisioterapia a oportunidade de evidenciar os benefícios e desenvolver estratégias nas empresas para a qualidade de vida do trabalhador.


Conteúdo Programático:

  • Considerações iniciais sobre o tema;
  • Conceitos, bases e fundamentações associadas à ergonomia;
  • A regulamentação da área;
  • O que dizem as normativas e a legislação vigente?;
  • As aplicações em ergonomia: foco na saúde e qualidade de vida do trabalhador;
  • A atuação do profissional da saúde e as relações com a ergonomia;
  • A ginástica laboral como prática na empresa;
  • Ginástica laboral preparatória;
  • Ginástica laboral compensatória;
  • Ginástica laboral de relaxamento.


  • Não perca a chance de fazer um curso espetacular, com ótimo conteúdo. 

    Clique na imagem abaixo e tenha todas as informações!

    http://3.bp.blogspot.com/--bh4hD7vuuw/WVY7EkgsDuI/AAAAAAAAUOM/ZrE5-avG0xYykRcbMBOEDFJey9NZ4XRLQCK4BGAYYCw/s1600/inscreva-se-no-curso.jpg

    Informações sobre o Curso:

    Produtor: Portal Educação

    0 comentários:

    A Laboral School é a Escola Avançada de Ginástica Laboral, um programa online completo de formação em Ginástica Laboral onde estudantes ...

    Material: Laboral School - Escola Avançada de Ginástica Laboral




    A Laboral School é a Escola Avançada de Ginástica Laboral, um programa online completo de formação em Ginástica Laboral onde estudantes e profissionais de Educação física e fisioterapia podem se capacitar para aumentar os seus resultados na área de Ginástica Laboral.

    Neste programa, o Professor Alessandro Gonçalves a partir de sua larga experiência profissional, conduz os alunos ao desenvolvimento profissional no campo da saúde e qualidade de vida empresarial.

    Conteúdo Programático

    - Avaliações nas empresas clientes;
    -Planejamento eficiente de programas de Ginástica Laboral;
    -Mensuração de resultados;
    -Montagem de planos de aulas;
    -Fisiologia do trabalho e da lesão;
    -Oficina de Exercícios;
    -Biblioteca de artigos científicos;
    -Biblioteca de materiais (Projetos, contratos, planilhas e etc...)
    E mais 3 bônus especiais:
    Curso Corrida trilhas e Montanhas
    Treinamento funcional Online
    Curso Online Fisiologia aplicada ao treinamento físico.

    Clique na imagem para saber o valor do investimento e formas de aquisição.

    Visualizar

    Informações sobre o Produto:

    Criado por Satelite Virtual

    0 comentários:

    Ginástica Laboral - Teoria e Prática - 100% ON LINE Pioneiro na EAD, o curso é uma exelente oportunidade para os profissionais que...

    Material: Curso de Ginástica Laboral - Teoria e Prática





    Ginástica Laboral - Teoria e Prática - 100% ON LINE

    Pioneiro na EAD, o curso é uma exelente oportunidade para os profissionais que desejam incrementar seus conhecimentos na área de Ginástica Laboral.

    Além do repertório de informações disponibilizadas no curso, a grande vantagem é que o mesmo é oferecido na modalidade online o que permite ao participante a possibilidade de assistir quando e onde quiser.



    Informações Gerais:
    • 12 horas de curso
    • Biblioteca virtual com artigos científicos
    • Certificado de conclusão
    • Forúm de discussão
    • 3 professores

    Clique na imagem e saiba o valor do investimento e forma de pagamento.


    Visualizar

    Informações sobre o Produto:

    Criado por Satelite Virtual

    0 comentários:

    A ginástica laboral é uma prática que tem como principal objetivo prevenir patologias relacionadas às atividades laborais e incentivar ...

    Material: Aulas Ginástica Laboral - Guia Prático




    A ginástica laboral é uma prática que tem como principal objetivo prevenir patologias relacionadas às atividades laborais e incentivar os colaboradores à prática de atividades físicas, enfatizando a importância para a melhora na qualidade de vida e manutenção da saúde. A ginástica laboral geralmente é realizada no posto de trabalho ou em algum espaço especifico dentro da empresa, tendo a duração média de quinze minutos, podendo ser realizada diariamente, três vezes por semana ou conforme a frequência que a empresa disponibiliza.

    Tanto o profissional de Educação Física quanto o Fisioterapeuta pode trabalhar com a Ginástica Laboral.

    Esse ebook traz aulas de lúdicas e de massagem para ginástica laboral, com o objetivo de auxiliar profissionais a inovar suas aulas.

    As aulas podem ser aplicadas tanto no setor administrativo quanto no setor fabril.

    O valor é R$ 7,00 e vale a pena por causa da abordagem efetuada neste guia. Você pode adquiri-lo ao clicar na imagem abaixo e será, tenho certeza, de grande valia para a sua vida profissional.


    https://pay.hotmart.com/F5036578Y?_ga=2.168236385.1998809845.1497560324-1943412263.1470137209


    Informações sobre o Produto:

    Página de Venda do Produto
    Página para pagamento do produto
    Criado por  Juliana Moreli Barreto


    0 comentários:

      A saúde ocupacional lida unicamente com a saúde do trabalhador, e é voltada para a prevenção de doenças e demais problemas que possam su...

    Saiba mais sobre a Saúde Ocupacional


     

    A saúde ocupacional lida unicamente com a saúde do trabalhador, e é voltada para a prevenção de doenças e demais problemas que possam surgir no ambiente de trabalho.

    As funções que competem à saúde ocupacional devem proporcionar ao trabalhador condições dignas para realização de suas tarefas. Isso é feito através de médicos, enfermeiros e técnicos que avaliam as condições físicas dos funcionários e dizem se estão aptos a exercer as atividades a eles conferidas.

    Conheça o Curso Online sobre Saúde Ocupacional

    Essas avaliações são feitas periodicamente para medir o desgaste a que os trabalhadores são submetidos ou para admitir novos empregados, para demiti-los e para avaliar se estão em condições para voltar ao trabalho, depois de algum tempo de afastamento.

    Atualmente a saúde ocupacional é um setor obrigatório dentro das empresas graças a Norma Regulamentadora (NR) 7, que estabelece a "elaboração e implementação, por parte de todos os empregadores e instituições que admitam trabalhadores como empregados, do Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional – PCMSO".

    O curso Saúde Ocupacional oferece ao participante a oportunidade de atualizar-se sobre a saúde dos trabalhadores.

    A saúde ocupacional trata desde a prevenção de doenças e acidentes até mesmo os problemas provenientes do trabalho, pois seu objetivo é promover o bem-estar tanto físico quanto mental e social dos trabalhadores no exercício de suas ocupações.

    A saúde ocupacional cuida da saúde do trabalhador com vista às doenças diretamente ligadas ao ambiente de trabalho. No entanto, a maioria das empresas oferece plano de saúde aos seus funcionários e, também, extensivo à família, pois a saúde deles é essencial para o bem-estar emocional de todos.

    0 comentários:

    EM FISIOTERAPIA CORRETIVA A ação da Fisioterapia corretiva será efetivada por meio do extenso arsenal terapêutico inerente à Fisioterapi...

    Fisioterapia Corretiva x Fisioterapia Preventiva




    EM FISIOTERAPIA CORRETIVA

    A ação da Fisioterapia corretiva será efetivada por meio do extenso arsenal terapêutico inerente à Fisioterapia, suas formas de avaliação, prescrição, execução, tratamento e alta Fisioterapêutica. O ambulatório deve ser adequado às necessidades da empresa e do empregado, não somente com os recursos da Fisioterapia Clássica, mas também com o uso de recursos pouco ortodoxos como Reeducação Postural Global (RPG) e Osteopatia. Em empresas que trabalham com produtos que danificam o aparelho respiratório, o ambulatório deve possuir recursos que permitam identificar, avaliar e tratar doenças restritivas e obstrutivas. Tudo em perfeito entrosamento para atingir os seguintes objetivos:

    a) Redução das horas não-trabalhadas por motivo do tratamento, visto ser ele realizado na própria empresa.

    b) Atender adequadamente a cada acometimento, pois por não possuir fins lucrativos, não há exigência de produção e/ou “massificação” no atendimento.

    c) Constatação e quantificação estatística.

    d) Determinação dos acometimentos mais comuns encontrados na empresa, conforme o tipo de atividade desempenhada.
    e) Estabelecimento de protocolos de atendimento adequados às atividades laborativas.

    EM FISIOTERAPIA PREVENTIVA

    O fisioterapeuta fará uso da Ergonomia. Integrará uma equipe multidisciplinar composta por profissionais que comunguem os mesmos objetivos. Desta equipe farão parte o médico do trabalho, o engenheiro de segurança do trabalho, o gerente de produção, o gerente de recursos humanos, o assistente social e outros profissionais que tenham atribuições que contribuam para obtenção dos seguintes objetivos:

    a) Redução das doenças profissionais típicas às atividades desempenhadas na empresa, mediante a ministração de cursos e/ou palestras sobre orientações posturais, lesões por esforços repetitivos, prevenção de problemas de coluna, manuseio de cargas, dentre outros.

    b) Formulação e execução de programas preventivos para todos os funcionários no sentido de produzir condicionamento físico, relaxamento e, consequentemente, reduzir o estresse.

    c) Integrar equipe multidisciplinar para discussão de casos e assessoramento por meio de pareceres técnicos da área.

    d) Estudo ergonômico dos postos de trabalho que apresentam grande índice de acidentes de trabalho e tenham funcionários com acometimentos comuns ou diagnósticos semelhantes.

    Publicado em 07/08/11 e revisado em 18/05/17

    0 comentários:

    No corre-corre do trabalho, muitas são as vezes que as pessoas não atentam para sua saúde, e acabam sofrendo com os conhecidos problem...

    Fisioterapia Preventiva no trabalho




    No corre-corre do trabalho, muitas são as vezes que as pessoas não atentam para sua saúde, e acabam sofrendo com os conhecidos problemas nas articulações que tanto prejudicam os trabalhadores em geral.


    Esses problemas podem ser caracterizados como:

    LER (Lesão por Esforço Repetitivo): 

    Adquirida por uso dos membros superiores em tarefas que desenvolvem movimentos locais ou posturas forçadas de forma repetida. 

    DORT (Disturbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho) 

    "Síndrome clínica" caracterizada por dor crônica, acompanhada ou não por dor crônica, acompanhada ou não por alterações objetivas e que se manifesta principalmente no pescoço, cintura escapular e/ou membros superiores em decorrência do trabalho. 

    Causas da LER-DORT

    Posto de trabalho que force o trabalhador a adotar posturas, a suportar certas cargas e a se comportar de forma a causar ou agravar afecções músculo-esqueléticas. 
    Exposição a vibrações de corpo inteiro, ou do membro superior, podem causar efeitos vasculares, musculares e neurológicos. 
    Exposição ao frio pode ter efeito direto sobre o tecido exposto e indireto pelo uso de equipamentos de proteção individual contra baixas temperaturas (ex. luvas). 
    Exposição a ruído elevado, entre outros efeitos pode produzir mudanças de comportamento. 
    Pressão mecânica localizada provocada pelo contato físico de cantos retos ou pontiagudos de objetos, ferramentas e móveis com tecidos moles de segmentos anatômicos e trajetos nervosos provocando compressões de estruturas moles do sistema músculo-esquelético. 
    Posturas. As posturas que podem causar LER-DORT possuem três características que podem estar presentes simultaneamente: 
    Posturas extremas que podem forçar os limites da amplitude das articulações. 
    Força da gravidade impondo aumento de carga sobre os músculos e outros tecidos. 
    Posturas que modificam a geometria músculo-esquelética e podem gerar estresse sobre tendões, músculos e outros tecidos e/ou reduzir a tolerância dos tecidos. 
    Carga mecânica músculo-esquelética. Entre os fatores que influenciam a carga músculo-esquelética, encontramos: a força, a repetitividade, a duração da carga, o tipo de preensão, a postura e o método de trabalho. A carga músculo-esquelética pode ser entendida como a carga mecânica exercida sobre seus tecidos e inclui: 
    Tensão (ex.: tensão do bíceps);
    Pressão (ex.: pressão sobre o canal do carpo);
    Fricção (ex.: fricção de um tendão sobre a sua bainha);
    Irritação (ex.: irritação de um nervo).

    Sintomas da LER-DORT 

    Geralmente os sintomas são de evolução insidiosa até serem claramente percebidos. Com freqüência, são desencadeados ou agravados após períodos de maior quantidade de trabalho ou jornadas prolongadas e em geral, o trabalhador busca formas de manter o desenvolvimento de seu trabalho, mesmo que à custa de dor. A diminuição da capacidade física passa a ser percebida no trabalho e fora dele, nas atividades cotidianas.


    As queixas mais comuns do portador de LER - DORT são:
    Dor localizada, irradiada ou generalizada, 
    Desconforto, 
    Fadiga, 
    Sensação de peso, 
    Formigamento, 
    Dormência, 
    Sensação de diminuição de força, 
    Inchaço, 
    Enrijecimento muscular, 
    Choques nos membros e 
    Falta de firmeza nas mãos. 


    Nos casos mais crônicos e graves, pode ocorrer:
    Sudorese excessiva nas mãos e 
    Alodínea (sensação de dor como resposta a estímulos não nocivos em pele normal). 


    Diagnóstico da LER-DORT

    Para realizar o diagnóstico da LER – DORT, o médico busca dados por meio da história clínica, levando em consideração as atividades realizadas pela pessoa tanto no trabalho, quanto no lazer. Em seguida realiza um exame físico geral, dedicando especial atenção aos locais afetados.


    Exames complementares podem ser solicitados para esclarecer o diagnóstico, incluindo:
    Radiografias, 
    Ecografias, 
    Eletroneuromiografia, 
    Ressonância magnética, 
    Exames laboratoriais para condições reumáticas, dentre outros. 
    Tratamento da LER – DORT


    O tratamento da LER – DORT têm início após um diagnosticado correto e deve buscar uma abordagem integrada, ao invés de tratar somente a sintomatologia: 
    Medidas ergonômicas visam à melhoria do espaço físico e dinâmico de trabalho que não induzam ao desenvolvimento da LER – DORT. Por vezes, pequenas adaptações fazem grandes diferenças. As pausas programadas podem ser consideradas atitudes ergonômicas benéficas. 
    Exercícios físicos são benéficos e incluem tanto exercícios aeróbicos, como exercícios de alongamento. 
    Fisioterapia é muitas vezes empregada na redução da dor e na recuperação da função e dos movimentos do membro afetado pela LER – DORT. 
    Medicamentos antiinflamatórios e analgésicos são utilizados para alívio da dor aguda e crônica da LER - DORT. Devem ser utilizados com cautela e recomendação médica. 
    Medicamentos corticóides são antiinflamatórios mais potentes, porém com mais efeitos colaterais, merecendo atenção médica redobrada. 
    Medicamentos antidepressivos e outros agentes com ação no sistema nervoso central são utilizados em quadros de dores crônicas provocadas pela LER – DORT ou quando associadas a sintomas de humor e/ou ansiedade. 
    Intervenção cirúrgica é indicada para casos associados a mal formações e deformidades ósteo-musculares irreversíveis ao tratamento medicamentoso. 




    Prevenção da LER – DORT




    Identifique tarefas, ferramentas ou situações que causam dor ou desconforto e converse sobre elas com os profissionais da Comissão de Saúde Ocupacional e com sua chefia. 
    Faça revezamento nas tarefas. 
    Procure aprender outras tarefas que exijam outros tipos de movimento. 
    Faça pausas obrigatórias de 10 minutos a cada 50 minutos trabalhados, evitando ultrapassar 6 horas de trabalho diário de digitação. 
    Auxilie na identificação das posições incorretas e forçadas no trabalho. Ao mesmo tempo, procure dar sugestões sobre o que fazer. 
    Informe claramente à sua chefia quando o tempo determinado para realizar uma tarefa for reduzido. 
    Diante dos sintomas de dor ou formigamento nos membros superiores, procure um médico. 
    Procure conhecer os recursos de conforto do seu posto de trabalho. 
    Procure adotar as posturas corretas. 
    Levante-se de tempos em tempos, ande um pouco, espreguice-se, faça movimentos contrários àqueles da tarefa. 

    Exercícios para LER – DORT

    Estes exercícios são indicados para prevenção e auxiliam no tratamento da LER – DORT


    Abra as mãos e encoste as palmas em "posição de rezar". Com os dedos juntos flexione os punhos e comprima uma mão contra a outra. (frente do peito).


    Aperte dedo contra dedo, alongando-os um por um (polegar contra polegar, indicador contra indicador e assim por diante). Pode ser feito com todos os dedos ao mesmo tempo.


    Cruze o dedo com dedo (gancho) e puxe alternando-os. Ex. polegar com médio, anular com mínimo. A variedade fica por conta de cada um.


    Feche bem as mãos como se estivesse segurando algo com força. Em seguida estique bem os dedos.

    Abra os dedos afastando-os o máximo possível. Feche os dedos apertando-os com a mão esticada.

    Faça "ondas" com a mão e os dedos. Como se a mão estivesse serpenteando no ar.

    Balance as mãos.

    Gire os punhos em círculo, com as mãos soltas, no sentido horário e anti-horário.







    FONTE: 


    DELIBERATO, P.C.P. Fisioterapia Preventiva. São Paulo: Manole, 2002.

    MENDES, R. Patologia do trabalho. Rio de Janeiro: Atheneu, 1995.

    0 comentários:

    Os fisioterapeutas têm mais um motivo para comemorar. Não bastassem as recentes conquistas nos tribunais brasileiros que, dia a dia, resp...

    Exercício do profissional na área de Perícia na Fisioterapia




    Os fisioterapeutas têm mais um motivo para comemorar. Não bastassem as recentes conquistas nos tribunais brasileiros que, dia a dia, respaldam o exercício do profissional na área de Perícia.

    É importante lembrar, sempre, que, de acordo com a LEGISLAÇÃO brasileira, apenas médico e dentista podem dar atestados válidos para a justiça do trabalho. A legislação está acima de resolução de autarquias, que são resoluções de conselhos como o Coffito. Porém, as recentes conquistas abrem jurisdição para serem aceitas atestados de fisioterapeutas.

    Estude Fisioterapia através de artigos e matérias. Clique aqui e conheça os Cds Universitários de Fisioterapia.

    Mas vamos falar das ações do COFFITO.

    O COFFITO, por meio das Resoluções nº 464, 465, 466, e do Acórdão nº 479, normatizou e orientou a prática da Fisioterapia neste campo.

    Com as novas normativas, passam a ser delimitadas e contextualizadas as práticas do fisioterapeuta na área de Perícia. A Resolução-COFFITO nº 464, por exemplo, atualiza a nº 381, e dispõe sobre a elaboração e emissão pelo fisioterapeuta de atestados, pareceres e relatórios técnicos; já a Resolução-COFFITO nº 465, disciplina a Especialidade Profissional de Fisioterapia do Trabalho; e a Resolução-COFFITO nº 466, trata sobre a Perícia Fisioterapêutica e a atuação do perito e do assistente técnico.

    Dispõe sobre a elaboração e emissão pelo fisioterapeuta de atestados, pareceres e relatórios técnicos.

    Em seu primeiro artigo, a normativa destaca a competência do fisioterapeuta para elaborar e emitir atestados, relatórios técnicos e pareceres indicando o grau de capacidade ou incapacidade funcional, com vistas a apontar competências ou incompetências laborais (transitórias ou definitivas), mudanças ou adaptações nas funcionalidades (transitórias ou definitivas) e seus efeitos no desempenho laboral em razão das seguintes solicitações: readaptação no ambiente de trabalho; afastamento do ambiente de trabalho para a eficácia do tratamento fisioterapêutico; instrução de pedido administrativo de aposentadoria por invalidez (incompetência laboral definitiva); instrução de processos administrativos ou sindicâncias no setor público (em conformidade com a Lei nº 9.784/1999) ou no setor privado e; onde mais se fizerem necessários os instrumentos referidos neste artigo.

    De acordo com o texto, o Atestado é um documento qualificado, afirmando a veracidade sobre as condições do paciente, declarando, certificando o grau de capacidade ou incapacidade funcional com vistas a apontar as competências ou incompetências (transitórias ou definitivas), habilidades ou inabilidades do cliente/paciente/usuário em acompanhamento terapêutico.

    O Relatório Técnico, por sua vez, trata-se de documento contendo opinião técnico-científica decorrente de uma demanda profissional específica referente às áreas de atuação das especialidades da Fisioterapia. E o Parecer é um documento técnico-científico decorrente de uma demanda profissional específica, referente às áreas de atuação das especialidades da Fisioterapia, solicitada por pessoa natural ou jurídica de natureza pública ou privada.

    Clique aqui e leia a resolução completa.

    Resolução-COFFITO nº 465

    Disciplina a Especialidade Profissional de Fisioterapia do Trabalho e dá outras providências.

    Esta resolução disciplina a atividade do fisioterapeuta no exercício da Especialidade Profissional em Fisioterapia do Trabalho e determina as Grandes Áreas de Competência, entre elas: avaliação e diagnóstico cinésiológico-funcional, por meio da consulta fisioterapêutica (solicitando e realizando interconsulta e encaminhamento), para exames ocupacionais complementares, reabilitação profissional, perícia judicial e extrajudicial.

    Clique aqui e leia a resolução completa.

    Resolução-COFFITO nº 466

    Dispõe sobre a Perícia Fisioterapêutica e a atuação do perito e do assistente técnico e dá outras providências. A partir desta resolução, fica determinado que a Perícia Fisioterapêutica é ato exclusivo do fisioterapeuta, sendo competente para realizar perícias judiciais e assistência técnica em todas as suas formas e modalidades.

    O texto ainda aborda a Perícia Fisioterapêutica e a assistência técnica, de acordo com as áreas de atuação: Perícia Extrajudicial; Perícia Judicial, Perícia Judicial do Trabalho; Perícia Previdenciária; Perícia Securitária; e Perícia para Pessoas com Deficiências, entre outros temas.

    Clique aqui e leia a resolução completa.

    Acórdão nº 479

    O Acórdão visa orientar quanto às diretrizes para a formação mínima destinada à atualização do profissional fisioterapeuta perito e assistente técnico.

    0 comentários:

    O sistema respiratório constitui uma interface importante do organismo humano com o meio ambiente particularmente com o ar e seus consti...

    Identificando doenças respiratórias no trabalho



    O sistema respiratório constitui uma interface importante do organismo humano com o meio ambiente particularmente com o ar e seus constituintes, gases e aerossóis, sob a forma líquida ou sólida. A poluição do ar nos ambientes de trabalho associa-se a uma extensa gama de doenças do trato respiratório, que acometem desde o nariz até o espaço pleural. Entre os fatores que influenciam os efeitos da exposição a esses agentes estão as propriedades químicas e físicas dos gases e aerossóis e as características próprias do indivíduo como herança genética, hábitos de vida, como tabagismo e doenças preexistentes.

    O diagnóstico das doenças respiratórias relacionadas ao trabalho se baseia:

    Na história clínica-ocupacional completa, explorando os sintomas respiratórios, sinais clínicos e exames complementares.

    O estabelecimento da relação temporal adequada entre o evento e as exposições a que foi submetido o trabalhador.

    Considerando a latência de certas patologias, como por exemplo as neoplasias de pulmão e pleura, são importantes as informações sobre a história ocupacional do indivíduo e de seus pais, como na exposição pregressa ao asbesto trazido do local de trabalho nos uniformes profissionais contaminando o ambiente familiar.

    Devem ser colhidas informações sobre atividades de lazer ou hobbies (manipulação de resinas, epóxi, massas plásticas, solda, madeiras alergênicas) que podem esclarecer certos achados que não se explicam pela história ocupacional; informações epidemiológicas existentes e estudo do conhecimento diisponível na literatura especializada; informações sobre o perfil profissiográfico do trabalhador e sobre avaliações ambientais fornecidas pelo empregador, ou inspeção da empresa/local de trabalho; e propedêutica complementar.

    Os exames complementares mais utilizados são:

    - Radiologia do tórax;
    - Provas de função pulmonar (espirometria, volumes pulmonares, difusão de
    CO2);
    - Broncoscopia com lavado broncoalveolar;
    - Biópsia;
    - Testes cutâneos, gasometria arterial, hemograma, entre outros.

    As pneumoconioses são freqüentemente assintomáticas nas fases iniciais, tornando a radiografia de tórax periódica de suma importância para o diagnóstico e intervenção precoce, com evidentes benefícios para o trabalhador.

    O exame radiológico de tórax, no caso da suspeita de uma pneumoconiose, deve ser realizado e interpretado segundo os padrões estabelecidos pela Organização Internacional do Trabalho (OIT) na “Classificação Internacional das Radiografias de Pneumoconioses da OIT”.

    A versão atual, de 1980, utiliza padrões radiológicos para as diversas
    categorias de lesões e sua correta utilização pressupõe que:

    - As radiografias padrão mais próximas do caso em estudo devem ser cotejados, lado a lado, com os radiogramas em interpretação, no sentido de aumentar a acurácia;
    - O radiograma deve ser avaliado em relação à sua qualidade e classificado em
    1- bom, 2- aceitável, 3- ruim e 4- inaceitável, devendo esta ser repetida;

    - Para a decisão se as alterações são compatíveis com uma pneumoconiose, a presença das opacidades observadas no exame devem ser classificadas de acordo com sua forma, tamanho, profusão e localização. As alterações pleurais também devem ser classificadas.

    0 comentários:

    Faça Fisioterapia