Vivemos em uma época de profundas transformações tecnológicas, políticas e sociais. O estresse, a má alimentação e o sedentarismo afetam...

Benefícios da Ginástica Laboral na Fisioterapia do Trabalho




Vivemos em uma época de profundas transformações tecnológicas, políticas e sociais. O estresse, a má alimentação e o sedentarismo afetam as pessoas, independentemente de sua idade, sexo ou nível socioeconômico, tendo como consequência a maior incidência de doenças coronarianas, endócrinas ou relacionadas ao trabalho.

Os benefícios da ginástica laboral são inúmeros, tanto para os empregados quanto para os empregadores.

No âmbito fisiológico, ela promove mais disposição e bem estar, previne doenças funcionais como as LER (Lesões por Esforços Repetitivos) e os DORT (Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho), melhora a postura corporal, a flexibilidade, a resistência e a coordenação e diminui inflamações, traumas, tensões musculares e os esforços nas execuções de tarefas cotidianas.

O fator psicológico dos funcionários também agradece, já que ela promove a mudança da rotina no serviço, desenvolve a consciência corporal, combate as tensões emocionais, melhora a concentração no trabalho e aumenta a auto-estima de cada um. Além do mais, mostra a preocupação da empresa com os seus empregados, o que a torna mais humana.

Socialmente, os funcionários têm mais contato pessoal e social e trabalham melhor em equipe, pois a ginástica laboral faz com que eles percam a timidez.

Por outro lado, as empresas ganham bastante com a aplicação dos exercícios laborais porque seus empregados ficam mais satisfeitos pela preocupação por elas dispendida, produzindo mais e melhor e têm menos afastamentos médicos, o que traz prejuízos a qualquer empregador.

A ginástica laboral pode ser realizada antes, durante e depois do início do trabalho, sendo que cada uma tem um objetivo específico.

A preparatória aquece os músculos que serão utilizados durante todo o dia de serviço, despertando os empregados para que sintam mais disposição. A compensatória pode ser feita no meio do dia para interromper a monotonia da rotina diária com exercícios que compensam as tarefas repetitivas e as posturas inadequadas. Por fim, é preciso fazer a ginástica de relaxamento para que os músculos descansem, ficando menos tensos e estressados.

Após essa rotina de trabalho, você certamente se sentirá muito melhor quando chegar em casa. Além do mais, ficará mais disposta e feliz, pois qualquer atividade física gera serotonina, hormônio responsável pela sensação de leveza e bem-estar.

Para você ter uma ideia de como trabalha com a Ginástica Laboral, vou te apresentar um guia prático MUITO eficiente, que contém 15 exercícios para serem aplicados no cotidiano. Além desses 15 exercícios, tem uma apostila bem legal falando sobre vários aspectos dessa atividade.

Apenas R$ 7



0 comentários:

  A Comissão de Seguridade Social e Família aprovou no dia 5 de julho a propos...

Ginástica laboral será obrigatória no serviço público


 



A Comissão de Seguridade Social e Família aprovou no dia 5 de julho a proposta que obriga os órgãos e as entidades da administração pública federal (direta e indireta) a oferecerem, no próprio local de trabalho, atividades de ginástica laboral aos seus servidores.

O texto aprovado é o substitutivo do deputado Adelmo Carneiro Leão (PT-MG) ao Projeto de Lei 6083/09, do deputado Luiz Couto (PT-PB).

O relator retirou a previsão do projeto original de pausa de, no mínimo, dez minutos a cada quatro horas de trabalho para os exercícios para quem realiza esforço físico repetitivo.

O texto aprovado estabelece três fases para a ginástica laboral – preparatória, compensatória e de relaxamento – que deverão ser adaptadas a cada ambiente de trabalho.

"As argumentações que justificam a adoção da ginástica laboral, como as do projeto, estão respaldadas no adoecimento do servidor, e não na prevenção e na promoção da educação para a saúde, como preconizado pelos objetivos maiores da ginástica laboral", disse Leão.

Leão incluiu na proposta aprovada que a ginástica laboral deverá ser conduzida por profissionais das áreas de fisioterapia, terapia ocupacional ou educação física.

No trabalho
A proposta aprovada determina que as atividades de ginástica laboral sejam realizadas no local e no horário do trabalho, vedada a prorrogação da jornada de trabalho e posterior compensação do tempo de ginástica.

O texto original prevê que os períodos preenchidos pela ginástica serão contados como tempo efetivamente trabalhado. Dessa forma, a administração pública não poderá usar a participação na atividade como argumento para exigir, dos seus servidores, a prorrogação não remunerada da jornada de trabalho.

O projeto, que tramita em caráter conclusivo, ainda será analisado pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania. O texto foi aprovado pela Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público em junho de 2010

0 comentários:

Para se trabalhar com Fisioterapia no Trabalho, é necessário o Fisioterapeuta estudar Ergonomia. A ergonomia se preocupa com as condiçõe...

Ergonomia para os fisioterapeutas do trabalho




Para se trabalhar com Fisioterapia no Trabalho, é necessário o Fisioterapeuta estudar Ergonomia.

A ergonomia se preocupa com as condições gerais de trabalho, tais como, a iluminação, os ruídos e a temperatura, que geralmente são conhecidas como agentes causadores de males na área de saúde física e mental mas que o estudo procura traçar os caminhos para a correção. O seu objetivo é aumentar a eficiência humana através de dados que permitam que se tomem decisões lógicas.

O estudo da Ergonomia pelo Fisioterapeuta do Trabalho pode se dar através da leitura e entendimento de artigos e matérias sobre isso.

A facilidade que um CD de Ergonomia, com artigos e matérias selecionados para quem quer aprender facilita de mais esse processo.

Na ergonomia, o fisioterapeuta tem a função de detectar os movimentos realizados pelo trabalhador durante suas horas de atividade, distinguindo de maneira clara as exigências do trabalho e as dificuldades que o trabalhador enfrenta. Assim, unindo à ergonomia a cinesiologia e a fisiologia, o fisioterapeuta atua de forma significativa nos meios de produção do profissional e promovendo sua saúde

Invista nisso!


0 comentários:

  A fisioterapia do trabalho é uma área da fisioterapia que atua na prevenção, resgate e manutenção da saúde do trabalhador, abordando div...

Ginástica Laboral é uma das atribuições do Fisioterapeuta do Trabalho


 http://www.atemto.com.br/imagens/conteudos/i_2.jpg

A fisioterapia do trabalho é uma área da fisioterapia que atua na prevenção, resgate e manutenção da saúde do trabalhador, abordando diversos aspectos como ergonomia, biomecânica, atividade física laboral e a recuperação de queixas ou desconfortos físicos.

Curso online de Ginástica Laboral

Tem como objetivo melhorar a qualidade de vida do trabalhador, evitando a manifestação das queixas e patologias músculos-esqueléticos de origem ocupacional ou não, gerando aumento do bem estar, desempenho e produtividade.

As atribuições do Fisioterapeuta do Trabalho são:

– Prevenir desconforto ou queixas músculo-esqueléticas nas atividades laborais;

– Estudar a ergonometria do trabalho, junto à equipe de saúde e segurança do trabalho;

– Promover palestras de conscientização, capacitação e treinamento preventivo de doenças ocupacionais;

– Realizar orientações posturais e ergonômicas aos trabalhadores (dentro e fora do ambiente de trabalho e durante a execução de suas atividades ocupacionais;

– Avaliar a posturar e a analisar a biomecânica das tarefas nos postos de trabalho, promovendo a adequação do posto e das posturas para um melhor desempenho;

– Desenvolver programas de ginástica laboral;

– Realizar o tratamento das patologias ou das queixas músculo-esqueléticas, dentro ou fora da empresa.

– Promover ações terapêuticas preventivas às instalações de processos que levam a incapacidade funcional do trabalho.

– Analisar os fatores ambientais, contributivos ao conhecimento de distúrbios funcionais laborais.

– Desenvolver programas coletivos, que contribuem para a diminuição dos riscos de acidente de trabalho.

0 comentários:

  Passar horas ao volante não precisa ser estressante. Para tirar desse momento benefícios para sua saúde , vamos aprender alguns exercícios...

Dicas de exercícios para se fazer no carro


http://img.estadao.com.br/jornal-do-carro/imagens/noticia/alongamento.jpg

 

Passar horas ao volante não precisa ser estressante. Para tirar desse momento benefícios para sua saúde, vamos aprender alguns exercícios que podem ser feitos enquanto você dirige. Confira:

1. Pescoço: fazer a rotação da cabeça, forçar para um lado e para o outro com a ajuda das mãos alonga a região e auxilia no combate ao estresse.

2. Pulsos: com o carro parado, gire os punhos nos dois sentidos.

3. Ombros: esses podem ser exercitados mais facilmente.Girá-los para frente e para trás é uma boa prática. Subir e deixar cair também ajuda a relaxar toda a região. 

4. Cintura: virar o corpo para os dois lados relaxa a região e é fácil de fazer nos engarrafamentos.

5. BANCO: não pode ser muito inclinado nem muito para a frente.

6. Postura ideal:o pescoço deve ficar alinhado à coluna.Se ele fica solto,a cabeça fica vulnerável em caso de acidente.

7. Tornozelo: com o freio de mão puxado, é possível mexer os pés. Faça o movimento de esticar e fazer ponta, chamado de flex e ponta. Girar o tornozelo também é um bom exercício,principalmente para quem trabalha de salto alto.

Independentemente da distância a ser percorrida, é preciso parar, no máximo, a cada duas horas e fazer uma pausa de 15 minutos, para caminhar e se alongar. "Isso melhora a irrigação dos tendões e musculatura, oxigena os tecidos e reduz as lesões por esforço repetitivo"

0 comentários:

Para entrar no ambiente de trabalho das pessoas, qualquer profissional tem que ter noções de ergonomia. Ergonomia é  o estudo da relação ent...

Sabendo mais sobre Ergonomia


http://1.bp.blogspot.com/-H8EkSwK0uwQ/VkebGvHYC8I/AAAAAAAABDY/Ag4WGdxK1EM/s1600/logomarca_ergonomia1.gif

Para entrar no ambiente de trabalho das pessoas, qualquer profissional tem que ter noções de ergonomia.

Ergonomia é  o estudo da relação entre o homem e o seu ambiente laboral. Podemos dizer que a ergonomia no trabalho oferece ao indivíduo, o conforto adequado e os métodos de prevenção de acidentes e de patologias especificas para cada tipo de atividade executada.

Saber como a ergonomia pode ajudar no dia a dia é o objetivo do CD DE ERGONOMIA, dos Cds Universitários.

O CD traz artigos e conteúdo de como profissionais podem ajudar em diferentes ambientes de trabalho, seja em escritórios, fábricas e etc. Além disso, há dicas para que se aplique as leis corretas e aplicação da CIPA em empresas.

Não dá para esquercer que o programa ergonômico oferecido pela Ocupacional é elaborado em conformidade com as características peculiares de cada empresa, com treinamentos para capacitar

0 comentários:

É dificil achar quem nunca ouviu falar em Lesões por Esforço Repetitivo e Distúrbios Osteomoleculares Relacionados ao Trabalho. A...

Principais doenças ocupacionais desenvolvidas no escritório


http://fisioterapiabrusque.com/wp-content/uploads/2014/03/trabalho-e1394834367681.png

É dificil achar quem nunca ouviu falar em Lesões por Esforço Repetitivo e Distúrbios Osteomoleculares Relacionados ao Trabalho. As famosas LER/DORT são uma síndrome constituída por um conjunto de doenças que abrangem cerca de 30 patologias, causadas pela alteração de tendões, articulações, nervos e músculos. Entre elas, a tendinite, a bursite e a síndrome do túnel do carpo.

Muitos profissionais que trabalham em escritórios estão sujeitos a adquirir alguma dessas doenças, seja pela má postura, pela repetição do movimento ou, ainda, pelas condições do ambiente de trabalho.  O significado de saúde não é apenas a ausência de doenças ou dores, mas a garantia da qualidade de vida do colaborador. Por isso, é importante oferecer ao funcionário um ambiente de trabalho confortável, sem riscos, com mobiliário adequado. E, sobretudo, com prevenção.

As doenças geradas no trabalho demoram a aparecer. Muitas pessoas que hoje sofrem com algum tipo de doença ocupacional, poderiam ter evitado há anos com um ambiente adequado e com pausas durante o expediente. A qualidade de vida significa reduzir o esforço físico do colaborador, fazendo com que cumpra o expediente com satisfação.

As pessoas que exercem suas atividades em escritórios estão propensas a adquirir uma doença ocupacional, já que trabalham sentadas, em frente ao computador e usam bastante o telefone. Alguns exemplos são os bancários, programadores, operadores de telemarketing e profissionais da comunicação. Uma das formas mais eficazes de prevenir doenças e o estresse ocupacionais é a ginástica laboral. Pequenas pausas para se exercitar, alongar e desfocar um pouco da rotina são essências para manter a qualidade de vida do colaborador. Além de melhorar a condição física e psicológica, a ginástica laboral aumenta a integração entre os profissionais.

Conheça as principais doenças que podem ser desenvolvidas no trabalho:

LER/DORT: provocadas quase sempre por movimentos repetitivos ou por posturas inadequadas. O diagnóstico merece investigação, pois muitos confundem com uma simples lesão ou mau posicionamento de algum nervo ou articulação, por exemplo.

Lombalgia: a causa vem do excesso de esforço físico, má postura e pela forma inadequada de exercer certas atividades, como erguer algum peso. As dores na região lombar que seguem até as pernas são um dos sintomas mais comuns.

Problemas de visão: comuns em trabalhadores que atuam diretamente em frente ao computador, por conta da luminosidade e esforço para ler letras pequenas, por exemplo. Nesse caso, de acordo com a fisioterapeuta do trabalho, entra a ergoftalmologia, ramo da ergonomia que trata da visão. 

Surdez (temporária ou definitiva): a exposição a excesso de ruídos pode levar o colaborador a surdez e, em alguns casos, se tornar irreversível. É mais comum em pessoas que trabalham por muitas horas ao telefone ou em um ambiente com muito barulho.

Estresse ocupacional: resultado do ritmo frenético e cobranças no ambiente de trabalho, como horários inapropriados, carga horária excessiva e baixa remuneração, por exemplo. O ideal é que os colaboradores desliguem do serviço nos momentos de folga, privilegiando as horas de lazer.

Doenças psicossociais: mais uma vez, a pressão durante a jornada pode desencadear em uma depressão ou problemas emocionais. O resultado é um funcionário insatisfeito e improdutivo.

0 comentários:

A Fisioterapia do trabalho tem como objetivo a reabilitação e prevenção das LER/DORT (doenças ocupacionais), a reinserção e readaptação do...

Atuações do fisioterapeuta do trabalho


http://www.supportesaude.com.br/site_v2/images/images_pages_grd/gin_laboral_grd.jpg

A Fisioterapia do trabalho tem como objetivo a reabilitação e prevenção das LER/DORT (doenças ocupacionais), a reinserção e readaptação do trabalhador afastado bem como a inserção e adaptação do deficiente físico ao posto de trabalho. Para auxiliar no exame pré-admissional realiza-se uma avaliação biomecânica e para um serviço diferenciado podemos implantar um ambulatório de fisioterapia na sua empresa.

A fisioterapia do trabalho pode avaliar, prevenir e tratar lesões decorrentes das atividades no trabalho.

Algumas atuações do fisioterapeuta do trabalho

1.   Prevenção do desconforto ou queixas músculo-esqueléticas nas atividades laborais;

2.   Estudo ergonômico do trabalho, junto à equipe de saúde e segurança do trabalho;

3.   Intervenções ergonômicas de correção, conscientização ou sensibilização nas empresas;

4.   Palestras de conscientização, capacitação e treinamento preventivo de doenças ocupacionais;

5.   Orientações posturais e ergonômicas aos trabalhadores, fora do ambiente de trabalho e nos postos de trabalho durante a execução de suas atividades ocupacionais;

6.   Avaliação postural e análise biomecânica das tarefas nos postos de trabalho, promovendo a adequação do posto e das posturas para um melhor desempenho;

7.   Desenvolvimento de programas de ginástica laboral;

8.   Tratamento das patologias ou queixas músculo-esqueléticas, através de ambulatório na empresa ou ambulatório / clínica fora da empresa.
 
Com ajuda daqui

0 comentários:

Asma é a doença mais comum entre os trabalhadoresEstima-se que cerca de 1.275.000 brasileiros tem asma causada ou agravada por con...

Doenças respiratórias causadas pelo ambiente de trabalho


11349253

Asma é a doença mais comum entre os trabalhadoresEstima-se que cerca de 1.275.000 brasileiros tem asma causada ou agravada por condições de trabalho e 900.000 brasileiros apresentam DPOC (Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica) relacionados ao ambiente de trabalho.

As doenças respiratórias ocupacionais no Brasil, embora muito frequentes, são pouco conhecidas do grande público. Asma ocupacional, rinite ocupacional, DPOC, câncer de pulmão e pneumoconioses estão entre os principais problemas adquiridos ou agravados em ambiente de trabalho devido à exposição a agentes específicos, como a poluição do ar, gases, fumos ou partículas nocivas.
Segundo o médico Renato Igino dos Santos, a asma e a DPOC têm causas múltiplas e podem ser desencadeadas por interações entre fatores do paciente (genéticos, hereditários), hábitos pessoais, como o tabagismo, ou ambientais, como a exposição a gases, vapores, fumos e poeiras no ambiente de trabalho. "A mais frequente delas, aliás, é a asma relacionada ao trabalho", avalia o especialista.

As doenças pulmonares de origem ocupacional são causadas pela inalação de partículas, névoas, vapores ou gases nocivos no ambiente de trabalho. O local exato das vias aéreas ou dos pulmões onde a substância inalada irá se depositar e o tipo de doença pulmonar que irá ocorrer dependerão do tamanho e do tipo das partículas inaladas. As partículas maiores podem ficar retidas nas narinas ou nas grandes vias aéreas, mas as menores atingem os pulmões.

Agentes causadores

As exposições inalatórias em ambientes de trabalho englobam uma gama extensa de agentes, gases, vapores, névoas, neblinas e aerossóis com potencial de causar reações no sistema respiratório. Segundo Igino, um exemplo de empresa que oferece risco a essas doenças são as que possuem setor de pintura em pulverização que não possuem proteções individuais, como roupa isolante, suprimento de ar autônomo, máscara e cabine de pintura com fluxo laminar de ar.

Prevenção

A falta de medidas corretivas no ambiente é um dos maiores complicadores. Além de prevenir tais problemas por meio de proteção coletiva eficiente e algumas condutas, como o controle em relação à exposição às substâncias nocivas, podem diminuir os riscos e também os danos de doenças já adquiridas.

asma

OBRIGAÇÕES DA ENTIDADE EMPREGADORA

Igino alerta para que as empresas cumprem as normas regulamentadoras de higiene e saúde ocupacional, além de ter um programa de proteção respiratória para os trabalhadores.

1. Avaliar os riscos: Identificar os perigos e quais os que, sendo potencialmente causadores de doença, são utilizados ou produzidos pela atividade desenvolvida no local de trabalho. Determinar quem pode ser afetado e de que forma.

2. Eliminar ou substituir: Evitar a utilização e a exposição aos agentes alérgenos, substituindo-os por substâncias menos perigosas.

3. Prevenir a exposição: Se a substituição não for possível, dever-se-á diminuir a concentração, a duração e a frequência da exposição, bem como o número de trabalhadores expostos.

4. Elaborar um plano de proteção respiratória:

• Gerir as emissões na origem;
• Evitar processos de trabalho com produção de poeiras, aerossóis ou vapores;
• Utilizar substâncias sob uma forma menos perigosa, por exemplo granulados ou grudes em vez de pós ou líquidos;
• Utilizar sistemas fechados de enchimento e transferência, por exemplo de substâncias em forma de pó ou fibras;
• Controlar as emissões por meio de encapsulamento, ventilação, exaustores de fumos e outras medidas eficazes utilizadas no local de trabalho;
• Elaborar um plano de manutenção e limpeza com indicação da periodicidade, dos métodos e do equipamento de limpeza. Utilizar processos húmidos ou aspiradores em vez de vassouras.

5. Usar equipamento de proteção individual (EPI) das vias respiratórias. Cada equipamento de proteção das vias respiratórias deverá ser usado por um trabalhador apenas e nunca deverá ser partilhado.

6. Informar e formar os trabalhadores sobre:

• Os alérgenos respiratórios a que estão expostos;
• As práticas seguras de trabalho;
• O uso adequado dos equipamentos de proteção individual das vias respiratórias, incluindo a sua colocação e remoção, as restrições aplicáveis ao seu uso, a manutenção, bem como a quem devem comunicar problemas respiratórios;
• Monitorizar a exposição e os problemas de saúde com regularidade reavaliando-os, sobretudo em caso de alteração dos métodos de trabalho. Deverão fazer-se exames médicos, caso sejam detectados sintomas respiratórios provavelmente relacionados com o trabalho.

7. Consultar os trabalhadores e/ou os seus representantes:

• Ao avaliar os riscos, as exposições e os problemas respiratórios que ocorrem nos locais de trabalho;
• Ao substituir substâncias perigosas;
• Ao selecionar o equipamento de proteção individual;
• Sobre os resultados da monitorização, incluindo a vigilância médica.

Fonte: Segs

0 comentários:

A Fisioterapia do Trabalho é uma união bem sucedida entre a necessidade ocupacional, prevenção, promoção do bem estar, resgate da saúde e ...

Fisioterapia e ergonomia do trabalho


http://vivomaissaudavel.com.br/static/media/uploads/fisioterapia-do-trabalho.jpg

A Fisioterapia do Trabalho é uma união bem sucedida entre a necessidade ocupacional, prevenção, promoção do bem estar, resgate da saúde e reabilitação do trabalhador. Atua através dos aspectos da biomecânica, exercícios-laborais e a recuperação de queixas ou desconfortos físicos. A abordagem enfoca o indivíduo nas suas características e hábitos de vida, com sua técnica e trabalho.

Já a ergonomia é a disciplina científica dedicada ao conhecimento das interações entre o ser humano e outros elementos de um sistema.

A fisioterapia e ergonomia do trabalho tem como objetivo promover a saúde e prevenir as doenças, deficiências, incapacidades e as inadaptações dos indivíduos com disfunções de naturezas físicas, mentais e de desenvolvimentos. O planejamento das técnicas terapêuticas é utilizado após avaliação do movimento e da postura.

Presta atendimento nas seguintes áreas:

Traumato-ortopédica pré e pós cirúrgico.

Alterações posturais (escolioses, hiperlordoses, hipercifose)

Alterações ortopédicas

Neurológica síndromes genéticas, intervenção precoce, distúrbios do desenvolvimento psicomotor, doenças degenerativas, doenças metabólicas, seqüelas de acidente vascular-encefálico (principalmente através do Método Bobath)

Reumatológica doenças das articulações (artrites e artroses) e suas seqüelas, lombociatalgias.

Cardiológica e Pneumológica processos de insuficiência cárdio-respiratória, reeducação da dinâmica respiratória.

2 comentários:

Faça Fisioterapia