Levar ensinamento sobre a saúde no trabalho de forma eficiente, lúdica e cômica. É posssível desenvolver atividades de animação em empresas ...

Ludoterapia e riso ajudam a evitar acidente de trabalho




ludoterapia

Levar ensinamento sobre a saúde no trabalho de forma eficiente, lúdica e cômica. É posssível desenvolver atividades de animação em empresas e indústrias, demonstrando como tornar a atividade laboral mais livre do stress e de outras enfermidades próprias de esforços repetidos ou sem muita motivação 

A irreverência e o bom humor pode ser usado ao trabalhar com saúde e ter uma melhor qualidade de vida. O público se diverte e aprende a prevenir doenças.

A quebra da rigidez, do engessamento das relações entre companheiros ou com chefes tem um impacto considerável na informação sobre como prevenir acidentes de trabalho e tornar os ambientes mais seguros e agradáveis. A importância da ludoterapia na assimilação de conhecimentos e da liberação das tensões vem sendo reconhecida.

É importante frisar que a caracterização de palhaço já é uma forma de mostrar o valor da brincadeira, sem que se perca o foco. s iniciativa está de longe de se assemelhar a uma prática de infantilização, porque há a graciosidade da abordagem que acaba se tornando um meio de clarear as dúvidas, para que o errado seja trocado pelo certo, indo além das palavras.

O resultado é que há uma empatia imediata com o evento, a ponto de se repetir os convites e as intervenções nas políticas motivacionais.

No caso de informar sobre como trabalhar melhor e sem riscos para a saúde, considera que encontrou a forma ideal. As pessoas precisam quebrar o paradigma que devem viver para o trabalho. Na verdade, esse é uma consequência. Se não houver saúde, não tem como ingressar ou mesmo se manter no mercado de trabalho

0 comentários:

Estudos indicam que 80% das pessoas apresentam dor nas costas em alguma fase da vida. De crianças a idosos, a dor nas costas é uma das ocorr...

A lombalgia na Fisioterapia do Trabalho





Estudos indicam que 80% das pessoas apresentam dor nas costas em alguma fase da vida. De crianças a idosos, a dor nas costas é uma das ocorrências mais comuns, sendo a principal causa de afastamento do trabalho entre os adultos. Portanto, se formos pensar no ambiente de trabalho, certamente a lombalgia lidera esse "ranking".

Uma das formas de evitar a dor é observar a posição da cabeça, dos ombros e quadril ao longo do dia. É preciso ficar atento na hora do trabalho, estudo ou até mesmo no lazer. Usar o computador por horas pode prejudicar a saúde da coluna.

Caso a rotina de trabalho peça horas sentadas em frente ao computador, é necessário tomar algumas medidas, como alongamento a cada três horas que estiver sentado. Prestar atenção na tela do computador que fica em uma posição muito abaixo do nível dos olhos. Utilizar apoio para os pulsos também ajudam. Porém a forma mais correta é utilizar o computador em uma mesa/escrivaninha e sentar-se em uma cadeira na frente.

A melhor posição é manter a cabeça alinhada; costas, eretas e apoiadas pelo encosto da cadeira; deixar os punhos retos, em posição neutra, alinhados com o antebraço; e os dedos, livres. Já o quadril e joelhos devem ficar flexionados e os pés apoiados no chão.

Para aqueles que precisam dirigir durante o trabalho, também é preciso ficar atento à postura. A fisioterapeuta afirma que a má postura ao dirigir pode gerar hérnia de disco, escoliose, dores na lombar e coluna cervical, além de dores nos membros inferiores e superiores.

Dirigir e trabalhar sentando por longas horas, por exemplo, representa uma das vilãs das dores nas costas. Os efeitos colaterais mais comuns ocasionados pelo trânsito são dores lombares e articulares, tensão na base do pescoço, dores nos membros inferiores e superiores, além de problemas circulatórios. O fator desencadeante dessas dores é a postura sentada inadequada e a permanência prolongada nesta posição. Acima de 45 minutos, a musculatura começa a se fadigar.

Até mesmo na hora do lazer e do descanso é necessário prestar atenção na posição. O travesseiro não pode ser muito alto (para não aumentar a curvatura da coluna cervical) nem muito baixo, deve estar na metade do ombro. Não se esqueça de que além da boa postura para dormir, também precisamos ter uma boa postura ao levantar da cama.

Outro erro recorrente é na hora de dormir. Posições de barriga para baixo ou barriga para cima na hora do sono são perigosas, pois estas posturas deixam a coluna com alinhamento incorreto.

0 comentários:

Cada vez mais passamos horas e horas a fio no trabalho e quase sempre sentados em frente ao computador. Hábitos comuns, porém pouco saudáv...

Trabalho saudável: dicas para evitar desconforto e lesões



Resultado de imagem para postura certa errada

Cada vez mais passamos horas e horas a fio no trabalho e quase sempre sentados em frente ao computador. Hábitos comuns, porém pouco saudáveis, como cruzar as pernas enquanto trabalha, ficar com os cotovelos suspensos ao digitar, se inclinar para ver o monitor, entre outros, acabam gerando desconforto e às vezes até lesões.

Muitas empresas já despertaram para isso e investem agora em consultores, arquitetos, equipamentos e móveis planejados para levar mais ergonomia para o escritório. Além de terem que obedecer a uma questão legislativa, que especificou condições ergonômicas e vigora desde 1990 (NR17 do Ministério do Trabalho), as empresas que investem em ergonomia buscam com isso maior qualidade de vida e produtividade no trabalho.

"O ideal é que a empresa pense em como tornar cada atividade de trabalho mais humana, melhorando cada aspecto, desde a comunicação entre os membros da equipe, os detalhes do mobiliário e equipamentos de trabalho, até o contexto do trabalhador no espaço da empresa. A empresa é responsável pela condição de trabalho", afirma Alison Klein, fisioterapeuta e ergonomista do SEFIT (Serviços Especializados de Fisioterapia do Trabalho). Ronaldo Duschenes, designer e presidente da Flexiv (empresa especializada em móveis para escritório), complementa: "se o designer desconsiderar a ergonomia ele estará fazendo um mau produto. A norma serve para dar parâmetros, uma vez que temos que considerar medidas antropométricas". Duschenes também comenta que é fácil saber quando o móvel não é ergonômico, pois ele machuca, ou seja, causa desconforto.

Para auxiliar as empresas neste sentido, a SEFIT e a Flexiv trabalham em parceria, fazendo estudos e projetos tendo em vista a saúde do trabalhador. "Quem trabalha muito tempo sentado, acaba deixando o corpo estagnado, adaptando a musculatura a uma condição de sub-uso. Soma-se a isso o uso repetido de estruturas do corpo que são delicadas e que muitas vezes não estão preparadas para esta condição.

Desta maneira, o mobiliário deve ser totalmente planejado para que estas situações causem menos impacto, oferecendo bons apoios para evitar trabalhos estáticos e diminuindo atritos para não gerar traumas cumulativos", explica Alison. O fisioterapeuta ainda acrescenta que a cada R$1,00 investido em prevenção, são economizados R$4,00 em saúde. Além disso, Alison ainda aponta que atualmente a maior parte dos afastamentos acaba sendo de responsabilidade da empresa, que precisa provar que oferece condições adequadas de trabalho (especialmente depois da criação do NTEP - Nexo Técnico Epidemiológico Previdenciário). "Esta mesma legislação também prevê que as empresas que tenham um volume grande de afastados tenham o seu SAT (seguro de acidente de trabalho) ampliado em até 6% do bruto da folha de pagamento". Além de ser vantajoso em termos econômicos, a prevenção é uma grande aliada das empresas ao oferecer melhores condições para trabalhar e, com isso, ter um funcionário mais satisfeito.


Postura errada

Veja agora algumas dicas para ter mais ergonomia no trabalho:

1) A altura do tampo da mesa deve ficar entre 72 e 78 centímetros do chão;
2) Para evitar estrangulamento da circulação dos braços quando apoiados, a borda do tampo da mesa (parte arredondada) deve ser de 2,5 milímetros;
3) A distância média recomendada entre os olhos e a tela do computador é de 55 centímetros;
4) A parte superior da tela deve coincidir com a altura dos olhos, para evitar a projeção da cabeça para frente e a adoção de posturas críticas de trabalho;
5) Os cotovelos e antebraços devem estar apoiados no plano de trabalho e você deve estar sentado confortavelmente, com a coluna ereta;
6) O mobiliário deve ser regulável de forma a permitir um mínimo de alternância. Recomenda-se que mesas e cadeiras para uso do computador
possuam regulagens simples e que possam ser facilmente localizadas para permitir a mudança da postura ao longo da jornada de trabalho.

0 comentários:

De acordo com a Pesquisa Nacional de Saúde (PNS), realizada pelo IBGE, no ano de 2013 mais de 3 milhões de trabalhadores foram diagnos...

Atuação do Fisioterapeuta no Trabalho





De acordo com a Pesquisa Nacional de Saúde (PNS), realizada pelo IBGE, no ano de 2013 mais de 3 milhões de trabalhadores foram diagnosticados com LER/DORT. As doenças ocupacionais são alguns dos principais motivos de afastamento dos profissionais de suas atividades e entre as causas que colaboram para o desenvolvimento dessas lesões são estresse, ritmo de trabalho intenso, movimentos repetitivos, falta de uso de equipamentos de proteção, entre outros.

Não é novidade que as organizações têm cada vez mais investindo na qualidade de vida dos seus funcionários e o foco na saúde do trabalhador passou a ser um diferencial estratégico do mercado. A maioria das empresas já percebeu que o bem-estar dos colaboradores está diretamente ligado a sua produtividade. E para manter essa motivação vale reservar um tempo dentro da rotina para sessões de massagens, exercícios de alongamento e ginástica laboral, por exemplo.

Portanto, ter um fisioterapeuta especializado na prevenção das doenças do trabalho é essencial. Cada vez mais valorizado, o fisioterapeuta do trabalho atua acompanhando os funcionários de uma determina instituição orientando-os quanto as posturas adequadas e ergonômicas no posto de trabalho, além de promover atividades de prevenção a desconfortos e dores musculoesqueléticas. Muitos fisioterapeutas também são contratados para realizar palestras e treinamentos preventivos de doenças ocupacionais.

É importante para quem for trabalhar com Ginástica Laboral ter bons conteúdos para estudo. Eu indico o Curso Online de Ginástica Laboral, o Curso online de Ergonomia e o Curso Online de Fisioterapia no Trabalho. Com eles, é certeza de boa preparação para o mercado de trabalho.

0 comentários:

  Os exercícios físicos são muito importantes para a saúde, ainda mais para quem trabalha por muito tempo sentado ou quem exerce funções...

Ginástica laboral: melhora de produtividade e bem-estar


 


Os exercícios físicos são muito importantes para a saúde, ainda mais para quem trabalha por muito tempo sentado ou quem exerce funções em que há uma grande repetição de movimentos. Para auxiliar na manutenção de qualidade de vida no ambiente de trabalho, existe uma grande aliada: a ginástica laboral.

Com o objetivo de melhorar a saúde, evitar lesões e algumas doenças ocupacionais dos funcionários, além de promover interação e dinâmica entre a equipe e também melhora na produtividade, a ginástica laboral se baseia em uma série de alongamentos de diversas partes do corpo, como tronco, cabeça, membros superiores e inferiores.

Essa prática surgiu na Polônia, em 1935, com o nome de "Ginástica de Pausa". Somente na década de 1960 a ginástica laboral conquistou o mundo, sendo utilizada principalmente na Europa e no Japão. Já aqui no Brasil, a ideia foi implantada em 1973 na escola de educação Feevale.

 

Tipos de alongamentos


Existem diversos tipos de alongamentos, como ginástica laboral preparatória, compensatória, de relaxamento, de compensação e corretiva, sendo diferentes para cada função exercida pelo trabalhador.

A ginástica laboral preparatória é realizada no início da jornada de trabalho. Ela ativa fisiologicamente o organismo, prepara para o trabalho físico e melhora o nível de concentração e disposição, elevando a temperatura do corpo, oxigenando os tecidos e aumentando a frequência cardíaca. Tem a duração aproximada de 10 a 12 minutos e inclui exercícios de coordenação, equilíbrio, concentração, flexibilidade e resistência muscular.

A ginástica laboral compensatória tem duração de 5 a 10 minutos durante a jornada de trabalho. Sua principal finalidade é compensar todo e qualquer tipo de tensão muscular adquirido pelo uso excessivo ou inadequado das estruturas musculares e melhorar a circulação com a retirada de resíduos metabólicos, modificar a postura no trabalho, reabastecer os depósitos de glicogênio e prevenir a fadiga muscular. São sugeridos exercícios de alongamento e flexibilidade, respiratórios e posturais.

Já a ginástica laboral de relaxamento é realizada no final da jornada de trabalho durante 10 ou 12 minutos. Tem como objetivo a redução do estresse, alívio das tensões, redução dos índices de desavenças no trabalho e em casa, com consequente melhora da função social. São realizadas automassagens, exercícios respiratórios, exercícios de alongamento e flexibilidade e meditação.

A ginástica laboral de compensação tem o objetivo de evitar vícios posturais e o aparecimento da fadiga, principalmente por posturas extremas, estáticas ou unilaterais. Podem ser realizados movimentos simétricos de alongamento dentro do próprio setor ou ambiente de trabalho entre 5 a 10 minutos.

Outra modalidade é a ginástica laboral corretiva. A finalidade desta é estabelecer uma oposição muscular, utilizando exercícios que visam fortalecer os músculos fracos e alongar os músculos encurtados, destinando-se ao indivíduo portador de deficiência morfológica, não patológica, sendo aplicada a um grupo reduzido de pessoas.

0 comentários:

Há décadas o impacto da tecnologia vem afetando a organização da sociedade como um t...

Tecnologia na área da saúde pode diminuir afastamento de brasileiros do trabalho



Há décadas o impacto da tecnologia vem afetando a organização da sociedade como um todo – só no Brasil, já superamos a marca de um smartphone por habitante, por exemplo, com mais de 220 milhões de aparelhos ativos em todo o país. Segundo um levantamento feito pela empresa de estatísticas Statista (dados de 2016), os brasileiros são os que passam mais tempo usando smartphone no mundo: em média 4 horas e 48 minutos por dia. Tanta conectividade tem alterado a rotina de diversos setores, mas, na área da saúde, essas mudanças são ainda mais visíveis e, literalmente, sentidas.

Especialistas dizem que as tensões na nuca e no pescoço causadas pelo tempo inclinado em uma posição indevida para visualizar a tela do celular são determinantes para causar dores na coluna, no braço, no ombro e na cabeça, cada vez mais comuns na população.

Ao mesmo tempo que esse problema social contribui para o aumento das dores e doenças, podemos comemorar que a pesquisa tecnológica na área da saúde vem beneficiando os tratamentos das dores na coluna, que são as que mais têm afetado a saúde dos brasileiros, e otimizando a recuperação dos pacientes.

Com avanços tecnológicos que vão da adoção de prontuários eletrônicos até a tecnologia biomédica, as mudanças propiciadas vêm alterando a prestação geral de cuidados, mudando a comunicação, os tratamentos, a pesquisa e coleta de informações.

No Brasil, a tecnologia também vem impactando a saúde e melhorando tratamentos, garantindo a melhoria da qualidade de vida e reduzindo custos. Principal razão de afastamento dos brasileiros do trabalho, as dores na coluna cervical fizeram 116 mil trabalhadores deixarem suas funções só em 2016, segundo o INSS. Se antes, os cuidados dos casos mais graves exigiam intervenções que levavam meses para a recuperação completa, hoje, com os avanços recentes da tecnologia, a realidade é outra.

Novos materiais vem sendo criados para substituir os produtos ósseos e o titânio tradicionalmente usados nas cirurgias de fixação da coluna cervical, por exemplo, impedindo a ocorrência de diversos problemas inerentes ao uso de ossos e titânio, como rejeição óssea e prevenção de infecções.

Há alguns anos, em uma cirurgia de hérnia de disco na coluna cervical, por exemplo, para substituir o disco removido era utilizada uma porção de osso do próprio paciente que era obtida a partir de uma incisão separada feita na parte anterior do quadril do paciente. Hoje, o uso de novos materiais e a intervenção cirúrgica minimamente invasiva facilitou substancialmente a realização da cirurgia em si e a recuperação do paciente.

Nos casos de dores crônicas em que os tratamentos conservadores, como uso de analgésicos e fisioterapias não fazem mais efeito, como fibromialgia, hérnias de disco, escolioses e lombalgia, por exemplo, a cirurgia na coluna acaba se tornando a melhor solução. A novidade é que muitos desses problemas podem ser solucionados por meio de cirurgia endoscópica, uma técnica minimamente invasiva na qual o cirurgião utiliza um sistema de tubos óticos e um monitor de alta definição para operar o paciente a partir de um único orifício percutâneo.

Utilizando procedimentos cirúrgicos que invadem menos os tecidos e o corpo, e, consequentemente agridem menos o organismo, a cirurgia minimamente invasiva preserva a anatomia a fim de resolver o problema e, ao mesmo tempo, minimiza as dificuldades pós-cirúrgicas, proporcionando uma recuperação mais rápida aos pacientes.

Outra vantagem importante dessa técnica é que ela não exige anestesia geral e pode ser aplicada a pessoas de qualquer idade e condição física. As taxas de infecção e hemorragia são baixas e por ser um procedimento ambulatorial, o paciente pode ir embora no mesmo dia, retomando suas atividades rotineiras na sequência, como o retorno ao trabalho.

Cirurgia robótica e simulação digital em procedimentos da coluna

Uma das últimas edições do North American Spine Society, maior evento médico mundial em informações, técnicas inovadoras e melhores práticas de tratamento da coluna e que reúne profissionais de todo o mundo, apresentou novidades importantes, entre elas, um aparelho de ressonância magnética que permite a simulação de movimentos reais da coluna vertebral e a cirurgia robótica da coluna que utiliza um programa no qual os dados do paciente são inseridos no braço robótico, o qual realiza procedimentos cirúrgicos com alto grau de precisão. Em breve, tecnologias como essas poderão ser usadas no Brasil e vão proporcionar um grande benefício para o desenvolvimento das cirurgias.

Mas, se o futuro parece promissor, o presente já mostra que a realidade dos brasileiros que sofrem de problemas da coluna já começa a mudar com o advento dos avanços tecnológicos. A tecnologia já coloca à disposição de profissionais da área de saúde, por exemplo, técnicas e equipamentos cirúrgicos modernos para realização de radioscopia (um raio X dinâmico feito através da introdução dos materiais metálicos sem grandes incisões) e artroscopia (cirurgias com acesso ao órgão através de mini-incisões), que possibilitam o avanço contínuo da cirurgia minimamente invasiva da coluna, assim como de outros órgãos.

Tudo indica que a causa dos afastamentos do trabalho no Brasil deverá mudar nos próximos anos com a modernização dos tratamentos das dores nas costas, já que, com as novidades e procedimentos minimamente invasivos, poucos dias serão o suficiente para uma recuperação rápida e eficaz dos brasileiros afetados pelo problema.

0 comentários:

Devido ao aumento de produção no trabalho referente ao crescimento das organizações, os funcionários tendem a desenvolver doenças ocup...

Habilitação do Fisioterapeuta do Trabalho





Devido ao aumento de produção no trabalho referente ao crescimento das organizações, os funcionários tendem a desenvolver doenças ocupacionais como LER – lesões por esforço repetitivo – e DORT – Distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho, que resultam na diminuição da produtividade temporária do funcionário e, em alguns casos, podem até terminar em diminuição permanente. Para evitar esse tipo de transtorno dentro das empresas, um profissional formado na área de fisioterapia é contratado para assessorar a saúde ocupacional dos colaboradores da instituição com a prática da ginástica laboral, da recuperação de queixas e desconfortos e da ergonomia.

Assim nasceu a especialidade de Fisioterapia no Trabalho. Mas o que esse especialista é apto a realizar?

Para manter um nível de qualidade elevado no trabalho, é preciso que o colaborador esteja em dia com a sua saúde, tanto a saúde física como a mental. A fisioterapia no trabalho exerce, previne e trata as possíveis lesões ocasionadas durante as atividades desenvolvidas na jornada de trabalho. O fisioterapeuta também é responsável pelo desenvolvimento de programas que previnam acidentes de trabalho. Ele desempenha o papel de consultor e gera a habituação de funcionários afastados que estão retornando às suas funções. O fisioterapeuta deve instigar os colaboradores a assumirem hábitos de vida mais saudáveis, obtendo uma consciência corporal que resulta em bem-estar tanto físico como emocional no local de trabalho

Portanto, o profissional é habilitado a realizar:

- Ginástica Laboral;
- Laudos, Análises (AET), Gestão e Assessoria Ergonômica (NR17);
- Assistência Técnica em perícias de DORT e Ergonomia;
- Estabelecimento de Nexo de causa cinesiológica funcional e ergonômica;
- Avaliação das funções muscoesqueléticas;
- Avaliação cinesiológica funcional;
- Implantação de programas de qualidade de vida no trabalho;
- Reintegração de trabalhadores;
- Estruturação de pausas compensatórias;
- Adequações de postos de trabalho às necessidades trabalhistas;
- Desenvolvimento de tecnologia assistida para adequações dos postos de trabalho dos trabalhadores com necessidades especiais.  


0 comentários:

O Congresso Nacional Online de Ergonomia (CONAERGO) é um evento online que aborda temas da área da ergonomia, saúde ...

CONAERGO (Congresso Nacional Online de Ergonomia)




O Congresso Nacional Online de Ergonomia (CONAERGO) é um evento online que aborda temas da área da ergonomia, saúde e produtividade.

Nessa primeira edição, o tema foi direcionado para o aprendizado de como fazer uma Análise Ergonômica do Trabalho com qualidade, modelo este aprovado e aplicado por grandes empresas,e aceito por vários auditores fiscais do ministério do trabalho e emprego.

Nesse congresso online, você irá sanar todas suas dúvidas de como elaborar um relatório ergonômico do trabalho em conformidade com a NR 17, será abordando os aspectos físicos/biomecânicos, de organização do trabalho, cognitivos/psicossocial e de acessibilidade.

O curso está dividido em módulos contendo 14 aulas gravadas, os áudios em Mp3 dos conteúdos, e você ainda ganhará bônus exclusivos como: ebooks, PDF, entre outros.

O membro diamante, terá acesso a todas as palestras do 1º CONAERGO por 1 ano além de ganhar super BÔNUS:

- Todos os áudios em mp3 das palestras;
- Mapa mental das palestras para te ajudar nos seus estudos;
- Ebook: O controle do fluxo de caixa  + planilha para o controle do fluxo de caixa da sua empresa por Marcos Goes;
-Ebook: 8 passos pra criar o seu plano de marketing do ZERO. Por Marta Xavier;
-Ebook: Dicas posturais por Jucilene Marques;
- Um banner com o Mapa para a facilitar a sua Aet e análise de produto por Marcelo Fernandes;
-Planilha para te ajudar na elaboração do seu plano de ação das melhorias ergonômicas por Geraldo Neto;
-Um pdf contendo o SQR 20 que é uma ferramenta de avaliação de sofrimento mental por Dr. Eduardo Carvalho;

Durante 1 ANO, você poderá ver e rever quantas vezes quiser bastando apenas ter acesso a um computador/celular com acesso a internet. Adquira já!

Clique na imagem para saber o valor do investimento e formas de aquisição.

 Visualizar

Informações sobre o Produto:

Criado por ARPSaúde

0 comentários:

Para muitas pessoas o ambiente de trabalho acaba sendo um local de pouco conforme e bastante desgaste emocional e físico, o que pode ...

8 formas de atuação da Fisioterapia do Trabalho





Para muitas pessoas o ambiente de trabalho acaba sendo um local de pouco conforme e bastante desgaste emocional e físico, o que pode ocasionar problemas físicos e mentais aos trabalhadores e prejudicar a vida pessoal e profissional.

 A fisioterapia do trabalho é uma área da fisioterapia que atua na prevenção, resgate e manutenção da saúde do trabalhador, abordando diversos aspectos como ergonomia, biomecânica, atividade física laboral e a recuperação de queixas ou desconforto físicos.

A fisioterapia do trabalho pode avaliar, prevenir e tratar lesões decorrentes das atividades no trabalho.

Algumas atuações do fisioterapeuta do trabalho:

1. Prevenção do desconforto ou queixas músculo-esqueléticas nas atividades laborais;

2. Estudo ergonômico do trabalho, junto à equipe de saúde e segurança do trabalho;

3. Intervenções ergonômicas de correção, conscientização ou sensibilização nas empresas;

4. Palestras de conscientização, capacitação e treinamento preventivo de doenças ocupacionais;

5. Orientações posturais e ergonômicas aos trabalhadores, fora do ambiente de trabalho e nos postos de trabalho durante a execução de suas atividades ocupacionais;

6. Avaliação postural e análise biomecânica das tarefas nos postos de trabalho, promovendo a adequação do posto e das posturas para um melhor desempenho;

7. Desenvolvimento de programas de ginástica laboral;

8. Tratamento das patologias ou queixas músculo-esqueléticas, através de ambulatório na empresa ou ambulatório / clínica fora da empresa.

A rigidez articular e muscular fazem parte do cotidiano dos trabalhadores, contribuindo para o surgimento ou agravamento das lesões ocupacionais. As lesões ocupacionais como LER( lesões por esforços repetitivos) e DORT (Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho) são responsáveis por um grande número de afastamentos médicos do trabalho, tendo influencia direta na redução da capacidade laborativa dos trabalhadores . A prevenção de lesões osteomusculares e articulares é o fator diferencial para o sucesso das organizações.

Um ambiente de trabalho adaptado ergonomicanente e trabalhadores saudáveis e preparados para as solicitações musculares diárias, refletirão beneficamente no desempenho das empresas e na qualidade de vida de seus trabalhadores.

Portanto, há muitas formas que a Fisioterapia pode atuar na saúde do trabalho. Invista nisso!

0 comentários:

Faça Fisioterapia