Dor lombar e sua ligação com a postura sentada


>



http://www.guiamedicoflorianopolis.com.br/Adm/Multimidia/Noticias/caminhoImagem/642_800/227.jpg

É comum ser visto em diversas áreas de trabalho pessoas se queixando de dores lombares, que pode ser de intensidade leve a mais grave, que impossibilita nas atividades diárias. Entender alguns dos fatores que ocasionam esse incomodo é importante para podermos evitá-los ou minimizar essa ocorrência no setor do trabalhador.

Segundo Alves Neto (2009) um dos maiores problemas de saúde mundial no território ocidental são as dores lombares, que chega a atingir 70% a 85% dos indivíduos adultos. Essas dores então deixam de serem preocupantes apenas em um contexto individual e passa a preocupar o coletivo, já que dados mostram que nos Estados Unidos 2% da população participante da economia estão impossibilitados de trabalhar, sendo compensados financeiramente. Além dos gastos com os licenciados, os valores usados com tratamento são altos e nem todo procedimento pode ser facilmente liberado pelo Sistema Único de Saúde, no Brasil.

Para Fernandes Nilda (1992) a lombalgia que se trata de dores na região lombar podem ser provocadas por hérnia discal, dores gerais, quando atingem as vértebras discais podem ser por infecções, dores reflexas, dentre outras. Ela pode se desenvolver como uma dor, que ocorre após um movimento brusco, que solicita a região lombar de uma maneira violenta. Ou pode ocorrer de forma crônica, quando a dor passa a durar muito tempo.

Como na maioria dos casos de dores, o organismo entra em alerta para proteger a área que está sendo lesada, levando a uma contratura da musculatura local, que por fim deixa a dor mais intensa, devido a fadiga dos músculos que estão trabalhando em excesso para tentar manter a harmonia da região, o que nem sempre consegue, devido a lesão ser maior que a preparação do corpo para conflitos.

Nesse contexto podemos dizer que os fatores desencadeantes da dor lombar são diversos, porém o que mais se destaca são as causas biomecânicas, características de cada individuo e atividade ocupacional. Dentre as condições lesivas está a postura sentada por longos períodos e de forma incorreta.
Mas por que uma postura que pode causar supostamente um descanso ao corpo pode ser tão prejudicial? Isso acontece por que quando sentados o peso total do corpo é sustentado pela tuberosidade isquiática o que envolve direta e indiretamente toda estrutura ao seu redor, levando a exigir mais dos músculos abdominais e dorsais, onde os mesmos nem sempre estão preparados para tal tarefa. A falta de força e resistência desses músculos e uso incorreto, levam a uma redução da flexibilidade miofascial. Esse conjunto de fatores trazem as dores, que associado ainda ao encurtamento dos isquiotibiais e iliopsoas(acontecimento favorável nessa postura) levam ao acentuamento da lordose, mudando a estrutura biomecânica do corpo e intensificam as dores.

Como mostrado a dor lombar trás transtornos econômicos, perda de produtividade no setor de trabalho, acrescento também diminuição da auto estima, devido a limitação/impossibilidade para certos movimentos. Esses fatores deveriam torna a prevenção dessa algia de suma importância na vida do individuo e no coletivo.

Mas como prevenir? No contexto individual, deve se preparar a musculatura do corpo para execução da suas atividades, ou seja, um individuo que faça atividades físicas de forma correta e orientada por um profissional competente terá menor risco de desenvolver tais dores.

Já no setor coletivo, mas precisamente em empresas, a prevenção deve acontecer no setor, com aconselhamentos aos funcionários sobre a melhor postura no local de trabalho, com equipamentos ergonômicos ao mesmo e com a "quebra do padrão", ou seja, durante um período de trabalho o funcionário precisa executar uma atividade cinesio funcional, com acompanhamento de um profissional responsável por tal especialidade, que desenvolverá um programa de execução voltada ao ambiente de trabalho, além de trazer a tona a consciência corporal e cuidado com o mesmo aos grupos do setor.
Lembrando que não se tem conhecimento de uma posição sentada por longos períodos que seja benéfica ao corpo, mas sim a que menos agride, além de que mesmo a melhor postura não deve ser sustentada sem intervalos em períodos maiores que 4 horas.

Alguns alongamentos podem ser desenvolvidos individualmente para os interessados em manter uma boa qualidade da estrutura corporal e pode ser realizado regularmente, onde se saiba como estão as condições do corpo e se o mesmo não tem nenhuma alteração musculoesquelética que o impeça, lembrando que é importante consultar um profissional antes de começar a alongar-se, se o mesmo já sente alguma dor que persiste ou tem dúvida em como executar.

Referências:

Alves Onofre. Dor: princípios e prática, editora Artmed,2009.

Fernandes Nilda.Yoga Terapia: O caminho da saúde física e mental, 2ed. editora Ground, 1992.

Por: Dra Roberta Miranda
Share on Google Plus

About Faça Fisioterapia

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário