A ergonomia, a lombalgia e a saúde do trabalhador


>



 

Vários dos problemas que afetam a realidade do trabalhador de escritório e causam as lombalgias podem ser evitados. Por isso, a prevenção ergonômica em trabalhadores de escritório é muito importante para sua qualidade de vida.

Entende-se como ergonomia o estudo científico da relação entre o homem e seu ambiente de trabalho, e tem sido aplicada em projetos de máquinas, equipamentos, produtos, sistemas e tarefas, com o objetivo de melhorar a segurança, saúde, conforto e eficiência dos trabalhadores.

Sendo assim, é um conjunto de ciências e tecnologias que procura através do seu desenvolvimento adaptar as condições de trabalho às características do ser humano. Ela tem por objetivo contribuir para solucionar muitas situações de trabalho, da vida cotidiana, da satisfação e o bem-estar dos trabalhadores no seu relacionamento com sistemas produtivos e, principalmente, um grande número de problemas sociais relacionados com a saúde, segurança, conforto, eficiência, prevenção de erros.

A ergonomia busca dois objetivos fundamentais. De um lado, produzir conhecimento sobre trabalho, as condições e a relação do homem com o trabalho, por outro, formular conhecimentos, ferramentas e princípios suscetíveis de orientar racionalmente a ação de transformação das condições de trabalho, tendo como perspectiva melhorar a relação homem-trabalho.

Dentro das contribuições ergonômicas no ambiente de trabalho, Iida2 considera que as principais são:

a) concepção – que ocorre durante a fase inicial de projeto do produto, da máquina ou do ambiente;

b) correção – que é aplicada em situações reais, já existentes, para resolver problemas que se refletem na segurança, na fadiga excessiva, em doenças do trabalhador ou na quantidade e qualidade da produção.

c) conscientização – que tem como foco conscientizar o trabalhador através de cursos de treinamento e frequentes reciclagens, ensinando-o a trabalhar de forma segura, reconhecendo os fatores de risco que podem surgir, a qualquer momento, no ambiente de trabalho.

Uns dos principais objetos de interesse da prevenção são as situações de risco, as situações potencialmente lesivas, ou seja, os movimentos, posturas, enfim toda e qualquer posição que possa promover ou facilitar o aparecimento dos distúrbios ocupacionais (LER – a lesão por esforço repetitivo – atualmente designadas DORT – distúrbios osteo-musculoligamentares relacionados ao trabalho). Aliar as alterações ergonômicas ao local de trabalho produz certamente um ambiente mais saudável e agradável e tem como consequência o aumento da produtividade. Devem-se aliar as alterações ergonômicas no local de trabalho com as orientações relativas à prevenção de distúrbios ocupacionais: adequação postural, distensionamento das articulações (alongamento), bombeamento sanguíneo dos braços, retorno venoso das pernas, entre outros.

A postura, entre os trabalhadores de escritório, é um dos principais fatores associados à incidência da lombalgia.

Segundo a Pesquisa Nacional da Saúde, feita pelo IBGE em parceria com o Ministérios da Saúde, 15 a 20% dos adultos tem lombalgia, sendo que desse número a maioria, (90%), é considerada inespecífica, ou seja, não está relacionado diretamente a nenhum caso clínico e pode ocorrer em todas as faixas etárias.

Para profissionais que trabalham com computador, por exemplo, a postura sentada ergonomicamente correta considerada atualmente é: pescoço na posição neutra com campo visual de 15 a 30 graus abaixo da borda superior da tela do computador e distante do operador 40 a 70 cm; flexão de quadril em torno dos 100 a 110 graus proporcionando a acomodação dos ísquios, e de joelhos de 90 a 120 graus; membros superiores na posição vertical e alinhados ao tronco, formando um ângulo de 90 a 110 graus de cotovelo; punhos em alinhamento com os antebraços e mãos alinhadas com o punho (evitar a extensão de dedos durante a digitação.

A postura sentada, mesmo seguindo todas as orientações posturais, acarreta uma carga biomecânica significativa sobre os discos intervertebrais principalmente na região lombar. Quando o trabalho possibilita pouca margem para movimentação tem como conseqüência carga estática sobre certos segmentos corporais, que embora não intensa é contínua e associada à inércia musculoligamentar. Além de o colaborador adquirir uma postura correta de trabalho, ele deve também realizar as pausas para a descompressão das articulações e quebra da monotonia melhorando o rendimento intelectual27.

Assim, fatores como tipo e altura de assento, das mesas, do teclado, espaço para movimentação, postura, dentre outros, são de extrema importância para se evitar a lombalgia. Portanto, faz-se necessária a aquisição, por parte da empresa, de móveis e equipamentos ergonomicamente projetados, com vistas à prevenção dos riscos à saúde do trabalhador.


A ergonomia vem dando importante contribuição para a melhoria das condições de trabalho. Entretanto, nem sempre isso é possível na prática, em função de inúmeras dificuldades, como insuficiência técnica ou mesmo falta de conscientização por parte dos funcionários. Essa política, precisa, necessariamente, conscientizar os indivíduos sobre sua responsabilidade pessoa pela manutenção da própria saúde.

A ergonomia, a lombalgia e a saúde do trabalhador A ergonomia, a lombalgia e a saúde do trabalhador Revisado by Faça Fisioterapia on 11:43 Nota: 5

Nenhum comentário