Benefícios da ginástica laboral no segmentos de linhas de produção


>




As empresas, atualmente, ao mesmo tempo em que expõem os indivíduos a níveis elevados de tensão e estresse, têm voltado suas estratégias para programas de qualidade de vida e prevenção de doenças. Esses interesses tornam-se ainda mais evidentes e necessários, à medida que são observadas a influência positiva e os diversos benefícios do investimento na saúde e qualidade de vida do colaborador (funcionário) junto aos objetivos de crescimento da empresa, garantindo qualidade em prestação de serviços e produtos, bem como no processo de produção e execução de serviços.


Um dos principais problemas encontrados em uma linha de produção é o "fenômeno" LER/DORT (Lesões por Esforços Repetitivos / Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho), "são afecções de origem ocupacional que atingem os membros superiores, região escapular e pescoço, resultantes do desgaste muscular, tendinoso, articular e neurológico" ( MIRANDA, Carlos Roberto, DIAS, Carlos Roberto. 2002). A má adequação do trabalho ao ser humano é a principal causa do surgimento dessas "doenças", postura inadequada e do uso repetido e/ou forçado de grupos musculares desencadeiam uma série de problemas ao funcionário de uma empresa.

Boa postura, ergonomia e limitação de tempo nas condições de trabalho que geram lesão por esforço repetitivo, podem ajudar a preveni-la. Exercícios de fortalecimento, alongamento e relaxamento para reduzir a tensão muscular, podem ajudar no tratamento de lesões por esforço repetitivo.


As empresas, no afã de minimizar os impactos negativos caudados por esforços repetitivos e/ou má postura, procuram programas que auxilie na prevenção e no combate do absenteísmo, entre esses programas destaca-se o trabalho de Ergonomia, como uma "ferramenta" apresentada dentro deste propósito revela-se a Ginástica Laboral.


"Ginástica Laboral é a atividade física orientada, praticada durante o horário do expediente, visando benefícios pessoais no trabalho."( CARVALHO, Sérgio H. F. de 2003). Em um uma linha de produção, ela procura minimizar os impactos negativos devido o nível de esforço repetitivo, além de uma melhora produtiva, proporciona também qualidade de vida e saúde aos trabalhadores.


Com a implantação da Ginástica Laboral em uma linha de produção, o colaborador (funcionário) não é o único beneficiado, a empresa adepta a este tipo de programa também é recompensada através deste investimento, ganhos de produtividade, diminuição do número de absenteísmo causado por doenças osteomusculares, redução dos gastos com serviços médicos, aumento na satisfação do empregado no ambiente de trabalho, são pontos que se destacam em favor da empresa.

Benefícios da Ginástica Laboral no Segmento de Linhas de Produção


Os trabalhadores de uma linha de produção estão sujeitos a uma série de fatores que possam desenvolver ou agravar as lesões. Um dos principais fatores são os esforços repetitivos exigidos na produção, mau posicionamento das mãos durante a execução dos movimentos e má postura corporal também podem ocasionar as doenças ocupacionais.

Segundo a cartilha sobre doenças do trabalho, publicada pela CUT (Central Única dos Trabalhadores) em 2001, existem inúmeros fatores que podem contribuir para o surgimento da LER/DORT nas empresas. Com o aquecimento do mercado, as empresas visam mais lucro e custos mais baixos, como conseqüência disso, as empresas submetem os trabalhadores a condições inadequadas de trabalho, como, trabalhos realizados em ambientes frios, com má iluminação, ruidosos e mal ventilados, postos de trabalho e máquinas inadequadas, obrigando a adoção de posturas incorretas do corpo, equipamentos com defeito, tempo excessivo na mesma posição em pé. Outro fator decorrente deste crescimento é a ausência de pausas durante a jornada de trabalho e pressões por parte da chefia, isto faz com que o trabalhador tenha que efetuar seu trabalho rapidamente, contribuindo ainda mais para o aparecimento das doenças ocupacionais.


Prevenção de LER/DORT


Várias medidas podem ser tomadas para a prevenção da LER/DORT nas empresas, para evitar doenças relacionadas ao trabalho, é necessário à diminuição do ritmo de trabalho e pausas durante esta jornada, para que os músculos possam descansar, e o nível de stress diminuir. É preciso também, adequar os postos de trabalho para evitar que os colaboradores trabalhem com posturas incorretas, cada posto devem ser adaptados de acordo com as características físicas individuais de cada trabalhador. Uns ambientes com temperatura, ruídos e iluminação adequados, propiciam um local mais agradável. (GANDJEAN, 1998).


Outras medidas que são tomadas para prevenção de LER/DORT, é a implantação de um projeto de Ergonomia, e a aplicação de Ginástica Laboral em todos os setores das linhas de produção.


A Ergonomia no auxílio à Prevenção


A Ergonomia tem como objetivo melhorar os métodos de trabalho, através de adequações feitas nos postos de trabalho, adaptada a cada ser humano, visando segurança, conforto e eficiência nas atividades exercidas (GRANDJEAN, 1998).


Como ação para prevenção da LER/DORT, este projeto refere-se à adequação do ambiente de trabalho para cada colaborador, de acordo com suas características, fazendo uma análise não somente física, mas também psicológica e social, onde é estudado todos os aspectos que podem levar a doenças ocupacionais.

A partir de evoluções nas confecções de ferramentas do trabalho, o homem conseguiu diminuir significativamente os impactos causados pelo trabalho árduo que é executado (LIMA, 2008).


A Ginástica Laboral Como Proposta Preventiva de LER/DORT


Entre uma das medidas tomadas para prevenção da LER/DORT, está a introdução da Ginástica Laboral, atualmente, é comum encontrar em indústrias a aplicação desta atividade, como uma das ações para evitar doenças ocupacionais.


A implantação da GL contribui para a diminuição do índice de acidentes de trabalho e de lesões por esforços repetitivos, visando sempre à saúde dos trabalhadores e a melhoria das condições de trabalho, sendo uma alternativa econômica e eficiente contra todos estes problemas, trazendo satisfação e qualidade de vida para os funcionários (OLIVEIRA, 2003).


Existem basicamente três tipos de Ginástica Laboral oferecidos atualmente: Preparatória; Compensatória; Relaxamento (ZILLI, 2002).


Ginástica Laboral Preparatória


"Ginástica com duração aproximada de 5 a 10 minutos, realizada antes do início da jornada de trabalho ou nas primeiras horas. Tem como objetivo principal preparar os funcionários, aquecendo, sobretudo os grupos musculares que serão solicitados em suas atividades profissionais, proporcionando também maior disposição." (LIMA, 2008).


Ginástica Laboral Compensatória


"Ginástica com duração aproximada de 10 minutos e realizada durante a jornada de trabalho. Interrompe a monotonia operacional, com a realização de exercícios específicos de compensação para esforços repetitivos ou estruturas sobrecarregadas, e as posturas solicitadas nos postos de trabalho." (LIMA, 2008).


Ginástica Laboral Relaxamento


"Ginástica com duração aproximada de 10 minutos, baseada em exercícios de alongamento e relaxamento muscular, realizada no final do expediente, com o objetivo de oxigenar as estruturas musculares envolvidas na tarefa diária." (LIMA, 2008).


A Ginástica Laboral Aplicada a Produção


Para a aplicação da Ginástica Laboral em uma linha de produção, deve-se respeitar também o ritmo em que ela funciona, nem sempre é possível parar uma linha o tempo desejado, as empresas pensam em lucrar, em produzir sem parar, por isso o profissional responsável pela aplicação do programa de ginástica deve ser criativo, dinâmico e bem preparado para saber aproveitar um curto espaço de tempo para trabalhar de forma adequada e sanar os problemas que os funcionários da empresa possam possuir devido o ritmo acelerado de produção.


Benefícios da Ginástica Laboral aplicada a Linha de Produção


"Diminuir os problemas de saúde no trabalhador é sinônimo de aumento de produtividade na empresa". (CARVALHO, Sérgio H. F. de 2003).

Esta frase define um dos benefícios da implantação da Ginástica Laboral. Dentro da palavra "produtividade", podemos incluir a diminuição de acidentes de trabalho e faltas por motivos médicos, o que conseqüentemente diminui os gastos, visto que um trabalhador afastado se torna uma despesa para a empresa, já que ele não produzirá. (CARVALHO, 2003).


Além dos benefícios trazidos para a empresa, a GL proporciona benefícios principalmente para os trabalhadores, como o combate e prevenção de doenças ocupacionais, sedentarismo, estresse, depressão, ansiedade, etc. (FIGUEIREDO, Fabiana, MONT'ALVÃO, Claudia. 2005).


Aspectos Físicos, Psíquicos e Sociais


Segundo o site Saúde Em Movimento a Ginástica Laboral proporciona muitos benefícios aos trabalhadores de linhas de produção, esses benefícios se dividem em aspectos fisiológicos, Psicológicos e Sociais.


Com relação aos aspectos fisiológicos, a GL promove o combate e prevenção do sedentarismo, estresse, depressão, ansiedade, doenças profissionais, melhora a flexibilidade, força, coordenação, ritmo, agilidade e a resistência, promovendo uma maior mobilidade e melhor postura. Sobre os aspectos psicológicos, a GL melhora o equilíbrio biopsicológico, motiva por novas rotinas, melhora a auto-estima e a auto-imagem, além de combater as tensões emocionais. Os fatores sociais também se desenvolvem com a aplicação do programa de GL, melhorando as relações interpessoais e favorecendo o trabalho em equipe.


Satisfação dos Trabalhadores


Segundo análise feita por Petrô Gazafi, consultora de RH, era possível notar que a expressão física dos funcionários que participavam dos "10 minutos de atividade" tornava-se leve e descontraída, a expressão fisionômica evidenciava tranqüilidade e alegria.

A criatividade implementada na Ginástica Laboral, como a utilização da música, massagem com bolinhas, exercícios interativos, influencia muito no sucesso do programa, proporcionando uma maior integração entre os colaboradores. Os benefícios que muitas vezes parecem subjetivos são, na verdade, uma conscientização da satisfação e bem-estar promovidos pela atividade. (LIMA, 2008)


Ganhos e Produtividade das Empresas adeptas à GL


Com a implantação de um programa de Ginástica Laboral, não é apenas o funcionário praticante que estará ganhando, mas também a empresa que contratou esse serviço.

A aplicação da Ginástica Laboral, junto a um programa de ergonomia, é a melhor arma para combater o absenteísmo. Esses trabalhos podem beneficiar a empresa proporcionando a diminuição no número de acidentes de trabalho, reduz os gastos com serviços médicos, aumenta a satisfação do empregado no ambiente de trabalho e o ponto principal a uma empresa, aumenta a produção, conseqüentemente, aumenta os lucros. (MORAES, Camila de DELBIN, Maria Andréia. 2005)


CONCLUSÃO


As empresas que possuem linhas de produção, deparando-se com o alto índice de risco de possuir e sofrer baixas devido as LER/DORT, procuram encontrar soluções para minimizar estas situações negativas, como recursos, as empresas, em sua maioria, procuram adaptar programas de Ergonomia, no qual desenvolvem trabalhos que além da manutenção de maquinas de acordo com o ser humano, também proporcionam programas e ferramentas para "compensar" e/ou "ativar" a região que está/estará em função. Entre as principais ferramentas utilizas neste trabalho de prevenção, destaca-se a Ginástica Laboral.


A Ginástica Laboral passou por varias experiências no decorrer da história, em muitas ocasiões obteve resultados positivos, já em outras oportunidades não apresentou os resultados esperados, por esse motivo, passou um bom tempo esquecida, porém agora, ela voltou com força total e agradando aos funcionários de linhas de produção, devido à pausa e a quebra do ritmo de trabalho, e também proporciona um retorno à empresa, por tamanha satisfação do funcionário praticante.


A Ginástica Laboral além de proporcionar melhoras nos aspectos fisiológicos, psicológicos e sociais dos funcionários de uma linha de produção, também é um modo de ganho e melhor produtividade para uma empresa. Com a aplicação de programas de Ginástica Laboral, quem perde são apenas as LER/DORT e o absenteísmo.


REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS


ANDERSON, Bob. Alongue-se no Trabalho. Ed. Summus, 1998.

CARVALHO, Sérgio H. F. de. Ginástica Laboral – Ponto de Vista. Instituto de Ciências da Saúde, 2003.

CAÑETE, Ingrid. Humanização – Desafio da Empresa Moderna – a ginástica laboral como um caminho. Porto Alegre: Artes e Ofícios Editora, 1996.

COUTO, Hudson de Araújo, NICOLETTI, Sérgio José, LECH, Osvandré. Como Gerenciar a Questão das LER/DORT. Belo Horizonte: Editora Ego Ltda, 1998.

FÁTIMA, José de. Ginástica Laboral – Atividade Física na Empresa. Vídeocurso, Canal 4, 2005.

FONTES, Hélio Augusto Ferreira. Lesões por Esforço Repetitivo – LER. Copacabana Runners, 2007.

GRANDJEAN, E. Manual de Ergonomia – Adaptando o Trabalho ao Homem. 4ª ed. Porto Alegre: Artes Médicas, 1998.

JÚNIOR, Rubens Venditti, SOUZA, Irivaldo. Ginástica laboral: contribuições para a saúde e qualidade de vida de trabalhadores da indústria de construção e montagem. Revista Digital, 2004.

LIMA, Valquiria de. Ginástica Laboral. Atividade física no ambiente de trabalho. Ed. Phorte. São Paulo, 2003. 

MIRANDA, Carlos Roberto, DIAS, Carlos Roberto. LER – Lesões por Esforços Repetitivos: uma proposta de ação preventiva. Saúde e Trabalho, 2002.

MORAES, Camila de, DELBIN, Maria Andréia. Por que implantar um programa de Ginástica Laboral na empresa? Rev. Adm. CREUPI, Espírito Santo do Pinhal-SP, v. 05, n. 09, jan./dez. 2005.

POLITO, Eliane. Ginástica Laboral: teoria e prática. Rio de Janeiro: Sprint, 2002.

Benefícios da ginástica laboral no segmentos de linhas de produção Benefícios da ginástica laboral no segmentos de linhas de produção Revisado by Faça Fisioterapia on 06:20 Nota: 5

Nenhum comentário