Importância da atuação do Fisioterapeuta na prevenção de perdas na empresa


>



Inicialmente denominada "ginástica de pausa", a Ginástica Laboral começou na indústria com o objetivo de dar repouso ativo aos operários, por alguns períodos durante sua jornada de trabalho. A primeira referência bibliográfica que se tem sobre este tipo de experiência é um manual editado na Polônia, em 1925. Posteriormente, surgiram também outras publicações na Holanda e na Rússia. Em 1949 surge o termo ergonomia, que configura, planeja e adapta o trabalho ao homem, como um conjunto de conhecimentos científicos relativos ao trabalhador, necessários para a concepção de máquinas, dispositivos e ferramentas que possam ser utilizados com o máximo de segurança, conforto e eficiência.

A atuação direta de um Fisioterapeuta dentro de uma empresa, aplicando a ginástica laboral, junto com um planejamento ergonômico adequado promove ao trabalhador uma maior eficiência nas realizações de suas tarefas, pois, sem a atuação deste ultimo as sessões de ginástica laboral seria apenas um paliativo momentâneo, já que alguns minutos de alongamento e relaxamento não seriam capazes de atuar com eficácia sobre a má postura viciosa ou tarefas deficientemente prescritas, realizadas durante seis ou oito horas de trabalho.

Segundo, Venditti a incidência dos D.O.R.T. (distúrbios ósteo - musculares relacionados ao trabalho – tendinites) segundo a área de comprometimento em relação ao segmento corporal atingido de acordo com dados coletados na cidade de São Paulo (empresa Techint).

O ombro, tronco, pernas e braço, são as regiões do corpo onde ocorrem mais freqüentemente as dores ocupacionais.

A partir desses dados Venditti elaborou um boletim de avaliação de desempenho (BAD) do trabalhador com queixa, posterior a um planejamento ergonômico e aplicação da ginástica laboral, na qual, foi possível observar a melhora do desempenho e rendimento desses funcionários.

Quando um projeto deste é aplicado dentro de uma empresa é notória sua motivação em relação ao desempenho das atividades de seus funcionários, na qual, as ausências e faltas consecutivas destes, diminuem na mesma intensidade que os atestados médicos por afastamento.

Um projeto ergonômico inclui a análise a altura da cadeira que deve ser tal maneira que os pés fiquem apoiados firmemente no chão, a utilização do descanso para pés (grande e sólido) quando os mesmos não se mantiverem no solo, a manutenção do espaço entre coxas e o lado inferior da mesa (o ângulo entre coxas e pernas deve ser de 90 graus ou mais), a manutenção do tronco numa posição vertical relaxada, o apoio da região lombar pelo encosto da cadeira, a utilização de todo o assento e o encosto da lombar (posicionado ligeiramente para trás) para apoiar o tronco (o ângulo entre coxas e tronco deve ser de 90 graus ou mais), os apoios de braços, que devem suportar os antebraços confortavelmente enquanto houver digitação (fazendo com que ombros fiquem relaxados) tela do computador na altura dos olhos, teclado e mause próximos ao tronco para evitar movimentos de grande amplitude.

Para aplicação da ginástica laboral sugere-se um tempo mínimo de 15 minutos a cada duas horas de trabalho consecutivas, através de alongamentos dos braços por 30 segundos, movimentação ativa das mãos, pernas e pés. Movimentação ativa da coluna associado a movimentos dos braços, exercícios de respiração e relaxamento.

Essas atividades devem ser monitoradas e elaboradas pelo Fisioterapeuta para que ocorra a redução dos efeitos deletérios causados por uma longa e estressante jornada de trabalho, assim diminuindo as perdas dentro de uma empresa, na qual, um funcionário com saúde é um funcionário motivado, a desempenhar seu papel de forma adequada com objetivo de obter ganhos a organização a qual este pertence.

Fonte
Importância da atuação do Fisioterapeuta na prevenção de perdas na empresa Importância da atuação do Fisioterapeuta na prevenção de perdas na empresa Revisado by Faça Fisioterapia on 09:16 Nota: 5

Nenhum comentário